O que fazer em Alter do Chão

Alter do Chão, em Santarém, tem tantas belezas e atrativos que jamais caberia tudo num post só. Cada vez que piso ali, volto encantado por algo completamente novo. Dos encantos naturais ao povo, tudo me faz bem. Mas sendo um lugar que ainda tem muito a me mostrar, compartilho com vocês o que, ATÉ AQUI, me surpreendeu nesse recanto amazônico. Óbvio que ainda há muito a se explorar e eu espero fazer isso logo mais.

Trapiche da Praia do CAT. Foto: Petterson Farias

Ah, e antes de qualquer coisa: ao programar sua ida para Alter do Chão, muito importante verificar o nível do rio Tapajós na data da sua viagem, porque, vai por mim, é ele que vai nortear todo seu rolê.

  • Fevereiro a junho: rio cheio
  • Junho a outubro: vazante
  • Novembro a janeiro: rio seco

Fim de tarde na Ilha do Amor. Foto: Petterson Farias

1 – Floresta Encantada

Foto: Petterson Farias

Um verdadeiro mergulho nas entranhas da Floresta Amazônica. Quando o rio Tapajós sobe, você pode transitar entre árvores, aves e o silêncio da natureza, num passeio de 40 minutos dentro de um barquinho. O valor do passeio é $ 30,00.

Na volta, já escolha uma mesa ali mesmo, no restaurante de onde saem os barcos. Nele, o preço da comida é justo e enquanto eles não te servem, você pode continuar aproveitando a paisagem dando mergulhos no lago.

2 – Casa do Saulo

Foto: Casa do Saulo

O restaurante mais famoso de Santarém atrai turistas do mundo inteiro, isto porque, lá a experiência vai além da gastronomia: tem atrativos para todos os sentidos. A Casa do Saulo não fica necessariamente em Alter, mas em Carapanari, e reserva não só pratos regionais deliciosos, mas também uma piscina com vista privilegiada para o Tapajós, assim como uma praia “particular”. Te indico ir cedo e passar a tarde inteira lá. 

A casa funciona de terça a domingo:
Terça a quinta: 11h às 16h
Sexta-feira: 11h às 17h
Sábado e domingo: 10h às 18h

Praia no quintal da Casa do Saulo. Foto: Petterson Farias

Restaurantes instagramáveis. Foto: Casa do Saulo

Foto: Petterson Farias

3 – Ilha do Amor

Ilha do Amor. Foto: Petterson Farias

A ilha que deu à Alter do Chão o título de praia de água doce mais bonita do mundo, pelo The Guardian, é o cartão postal mais famoso da vila. Sua faixa de areia branquinha revelada em meses de baixa do rio Tapajós é um espetáculo amazônico dos mais lindos. Nela, há barracas que vendem bebidas e comidas; aluguel de caiaques e pranchas para stand up paddle; e barcos/lanchas que fazem passeios para outros lugares de Alter, como a Ponta do Cururu. A travessia para a ilha é feita por catraias (canoas) e custa $ 5,00.

Foto: Petterson Farias

As catraias. Foto: Petterson Farias

4 – Ty Comederia

Bar e restaurante delicinha para ouvir boa música e se divertir com pé na areia. Com vista para a Ilha do Amor, é mais uma boa opção para curtir depois da praia. Ty Comederia funciona todos os dias, das 19h às 23h30.

Foto: Petterson Farias

Foto: Ty Comederia

Foto: Ty Comederia

Foto: Ty Comederia

5 – Pajuçara

Mais uma praia linda e enorme ao seu dispor. Pajuçara fica um pouco distante da vila de Alter do Chão, mas é também um lugar para encher os olhos e se conectar com as belezas naturais dessa região. 

Foto: Petterson Farias

Entardecer em Pajuçara. Foto: Petterson Farias

6 – X-Bom Hambúrguer

X-Bom é um dos rolês mais recomendados na vilinha de Alter. A lanchonete tem um cardápio curioso e delicioso, que atrai muitos turistas. Depois de tantas indicações de amigos, fui lá para experimentar o hambúrguer de piracuí (farinha de peixe) e amei.

A hamburgueria funciona das 17h30 às 23h.

Burger de Piracuí. Foto: Petterson Farias

7 – Pôr do Sol no Trapiche

Final de tarde é no trapiche de mais uma das praias de Alter do Chão: a Praia do CAT. Lá, o sol se põe majestoso e você tem uma visão privilegiada desse momento. Dependendo de qual seja o seu rolê, dá pra meditar, aplaudir o crepúsculo e/ou caçar muitos likes com fotos belíssimas pro teu instagram. 

Foto: Petterson Farias

Foto: Petterson Farias

Trapiche da Praia do CAT. Foto: Petterson Farias

8 – Do Italiano

Outra boa opção pra quem gosta de beber e comer. O restaurante Do Italiano fica na pracinha central de Alter do Chão e é um ótimo lugar para encontrar pessoas, ouvir boa música, jogar conversa fora e descansar depois de um dia inteiro de atividades. 

9 – Çairé

Uma das festividades mais tradicionais e importantes do Pará, o Çairé ocorre no mês de setembro, começando sempre com seus rituais religiosos e terminando com a famosa disputa dos botos Tucuxi e Cor de Rosa. Um espetáculo pra encher os olhos, o espírito e o coração. 

A parte religiosa da Festa do Çairé. Foto: Petterson Farias

Alegorias da parte profana do Çairé. Foto: Petterson Farias

Boto Tucuxi. Foto: Petterson Farias

Foto: Petterson Farias

Foto: Petterson Farias

Foto: Petterson Farias

10 – Pindobal

Essa praia pertence a Belterra, um município próximo de Alter do Chão. Com um visual incrível, de barraquinhas de palha e água a perder de vista, Pindobal é também uma atração imperdível. Se você estiver com tempo disponível, não deixe de dar um pulo lá.

Essas e outras dicas no meu instagram também: https://www.instagram.com/pettersonfarias/

Na pracinha central de Alter

Ilha do Amor

Casa do Saulo

O que comer em Belém

Que Belém é o melhor lugar do mundo pra se comer, isso a gente não tá aqui nem pra discutir, né?! Então reuni os lugares que HOJE eu mais curto frequentar na cidade, pra comer, beber e ser feliz.

A famosa coxinha da Igrejinha, dentro do complexo do Governo do Pará, na Dr. Freitas, s/n

Picolé de açaí em Mosqueiro

1 – Clássico: Roxy Bar

O belenense vai dizer que é batido, que é clichê, mas não tem como fugir, Roxy continua sendo uma ótima opção, agora não só para jantar, mas também para almoçar. O restaurante, que funciona na Senador Lemos à noite, abre para o almoço também no shopping Bosque Grão-Pará.

O prato Charlton Heston ($69,) mora no meu coração, mas eu destacaria também a entradinha Cat food Gary Cooper ($38,), que são uns bolinhos de carne picada, recheados de queijo derretido e presunto.

Cat Food ❤ – $38,

Roxy Bar no Shopping Bosque Grão Pará

Melhor prato da vida: Charlton Heston – $69,

Serviço
– Senador Lemos
Todos os dias: 19h às 00h30 (aos finais de semana, até 3 da manhã)
– Shopping Bosque Grão-Pará
Segunda a sábado: 12h às 15h; das 18h30 à 00h;
Aos domingos: 11h30 às 16h30; 18h30 à 00h;

2 – Entradinhas: Famiglia Sicilia

Um dos restaurantes mais tradicionais de Belém, onde tudo o que se come é bom. Mas exalto aqui duas entradas maravilhosas: o pomodorini e os pãezinhos de alho. São de comer rezando!

Pomodorini: torrada, queijo cremoso e tomate confitado – $26,4 Foto: Rodrigo Andrade

Pãezinhos de alho – $20,9 Foto: Rodrigo Andrade

Serviço
Avenida Conselheiro Furtado (entre Quintino e Rui Barbosa), 1420
Horário de funcionamento: segunda a sábado: 19h à 00h/domingo: 11h30 às 15h30
Faça sua reserva: (91) 4008-0001

3 – Entradinhas: Brasileirinho

O restaurante Brasileirinho fica ali na Rui Barbosa, entre Mundurucus e Pariquis, e é outro lugar com entradinhas imperdíveis. Eles têm um pastelzinho de vatapá maravilhoso, mas o que eu mais amei lá foram os guiozas de maniçoba ($20, 4 unidades).

$20, 4 unidades

Serviço
Travessa Rui Barbosa, 2019, entre Mundurucus e Pariquis
Terça a domingo: 12h às 15h30
Sexta e sábado: 12h às 15h30; 19h30 às 23h;

4 – Vício: Armazém Belém

Eu amo o Armazém e vou defendê-lo. Gosto do atendimento rápido e da variedade, o cardápio vai de pães a carpaccio, passando por risotos, saladas, sanduíches e pizzas. As porções costumam ser generosas e o chopp sempre gelado. Carinho especial pelo prato de filé com arroz à piamontese ($53,5) e pela coxinha de frango com jambu ($7,9).

Coxinha de frango com jambu – $7,9

Filé com arroz à piemontese – $53,5 (porção individual)

Serviço
Nos shoppings Bosque Grão-Pará e Boulevard
Boulevard: todos os dias, 10h à 00h
Grão-Pará: todos os dias, 11h30 à 00h
(91) 3230-2806

5 – Descoberta: Buiagu

O Buiagu é um restaurante relativamente recente e fica no Hotel Atrium, na Praça do Arsenal, no bairro da Cidade Velha. O hotel por si só já é um charme, ele mantém traços da arquitetura do antigo mosteiro que lá já existiu e, mesmo que você não se hospede, pode visitá-lo para tomar um café da manhã, almoçar ou jantar.

Hotel Atrium

Ingredientes e sabores amazônicos como o filhote, jambu e tucupi estão no cardápio, que também tem uma entrada deliciosa chamada ‘Taberna de São Jorge’ ($24,). A taberna tem bolinhos diversos, entre eles, bolinho de feijoada, de maniçoba e joelho de porco.

Taberna de São Jorge – $24,

Filhote com arroz paraense – $65,

Serviço
Todos os dias: almoço e jantar
(91) 3199-1611
www.buiagu.com

6 – Descoberta: Ver o Açaí

Cores vibrantes, música regional, mesões e cadeiras que lembram o clima do Ver-o-Peso compõem o espaço que oferece somente comes e bebes genuinamente paraenses. O Ver o Açaí fica na Antônio Barreto, entre Alcindo Cacela e 14 de Março, e tem delícias tanto em petiscos quanto em pratos elaborados. Minhas três paixões são: dadinhos de tapioca com charque ($20, 5 unidades); bolinhos de maniçoba ($20, 5 unidades); e arroz de pato ($27,).

Dadinho de tapioca com charque (acompanhado de geleia de taperebá) – 20$

Bolinhos de maniçoba – $20,

Arroz de pato – $27, Foto: Atilla Leon

Serviço
Rua Antônio Barreto, 957 (entre Alcindo Cacela e 14 de março)
Terça a domingo: 12h às 22h
Whatsapp: (91) 98431-0601

7 – Redescoberta: Bar do Parque

O charmoso Bar do Parque, do ladinho do Theatro da Paz, é também um lugar para se comer e beber bem. Entre tantos petiscos regionais e sabores da nossa terra, tem um que eu amo mais, o Frito do Peixeiro ($38): iscas de peixe frito envolvido com farofa, banana frita e vinagrete. Égua, salivei só de lembrar!

Frito do Peixeiro – $38,

Serviço
Av. Presidente Vargas, ao lado do Theatro da Paz
Terça a quinta: 11h à 00h
Sexta: 11h às 02h
Sábado: 08h às 02h
Domingo: 08h à 00h
Café da manhã: sábado e domingo – 8h às 10h30

8 – Comidas Leves: Mango

O Mango é uma das opções para quem procura comida sem glúten e sem lactose. O restaurante fica na Braz de Aguiar e além da moqueca de filhote, camarões e lulas, tapioca de beterraba, risoto ao funghi e steak tartare, tem uma sobremesa que eu amo: bolo de cenoura com calda de chocolate/$18,.

Moqueca de Filhote com camarão – $57,

Bolo de cenoura – $18,

Tapioca de beterraba – $14,

Serviço
Segunda a Sábado, de 11h30 às 22h; Aos domingos, das 11h30 às 16h
Delivery: (91) 3199-2731/98427-6745
www.mangoalimentacaosaudavel.com.br

9 – Dê uma chance pro: Remanso do Bosque

Linguiça de porco com jambu – $38,

Por muito tempo fui levado pelo preconceito alheio e não fui ao Remanso por achar que era caro demais. Ok, barato não é, mas se come muito bem e por um preço justo. Geralmente, gasto em torno de 110 a 130 reais quando vou lá. O restaurante é um verdadeiro mergulho na gastronomia amazônica, com seus peixes, queijos e filés marajoaras e agora com as bebidas do Balcão Remanso também.

O Remanso do Bosque é um restaurante mundialmente famoso e está no nosso quintal. Não perca a oportunidade de conhecê-lo. Vá e peça a linguiça artesanal de porco com jambu acompanhada de pão ($38,) como entrada e depois o clássico deles: o filhote na brasa com macaxeira cozida e feijão manteiguinha ($132,).

O “clássico” do Remanso – $132,

Serviço
Terça a Quinta: 11h30-15h, 19h-22h30
Sexta e Sábabo: 11h30-15h30, 19h-23h30
Domingo: 11h30-15h30
www.restauranteremanso.com.br

10 – Pizza: Lôca

Já tive a minha fase Pizza Hut e gosto até hoje, mas imbatível no meu coração só a Pizza Lôca. Além dos sabores que fogem do convencional, eles têm uma de filé com calabresa apimentada que é maravilhosa. Eles só atendem no delivery.

Pizzas a partir de $21,9

Serviço
Delivery: (91) 3230-4141
Todos os dias: 17h às 23h
https://deliverydireto.com.br/pizzaloca/pa

11 – Sucos: Batistão e FOX

No quesito sucos, não tem pra ninguém: Batistão e Café da FOX são os meus preferidos. Batistão porque os sucos são enormes e sempre bem gelados, água na boca só de lembrar do de cupuaçu. Os da FOX porque têm umas combinações ótimas, a minha preferida é: suco de manga com laranja, gengibre e manjericão ($10,).

Serviço
Café Fox: todos os dias, de 9h às 21h;
www.facebook.com/foxbelem

12 – Doceria: Take 1

As docerias têm sido os melhores pontos turísticos dessa cidade. Daria pra fazer um post só sobre onde morrer de comer doces em Belém. Mas Take1 é hoje a minha preferida. Preço justo, porções generosas e bom atendimento fazem a diferença. Destaque para torta de maracujá com chocolate ($13,) e de banana com doce de leite ($14,). Ah! E embora seja uma doceria, nela se come bons salgados também. Quiche de ricota, tomate seco e manjericão ($12,), torta de frango com pão caseiro ($13,9) e as tapiocas com crosta de queijo são todos maravilhosos (entre $8,5 e $14,8). 

$14,

Tapioca com crosta de queijo ❤

$13,9

Quiche de ricota com tomate seco – $12,

A Take1 fica no Small Shopping, na Braz de Aguiar

Serviço
De segunda a sábado, de 11h às 20h

13 – Sorvetes: Cairu

Sorvete de açaí, na Cairu de Mosqueiro

Dispensa apresentações, né?! Não à toa, Cairu está sempre aparecendo nas listas das melhores sorveterias do Brasil. Difícil é escolher um sabor preferido, mas pavê de cupuaçu tem um lugar especial no meu coração.

Esse é o Mestiço: açaí com tapioca

Pavê de cupuaçu – $9,5 (casquinha com uma bola)

Serviço
Sorveterias espalhadas por toda a cidade. A mais famosa é a da Estação das Docas.
(91) 3246-9129

14 – Maniçoba: da minha mãe

E ai de quem disser que não. ❤

$30, o kg

Serviço

Instagram: @cozinhadaciveth

10 perfis paraenses para seguir no Instagram

Publicitário, fotógrafos, jornalistas, blogueiras fazem parte dessa lista de perfis que eu amo seguir no Instagram. Lista como sempre muito maleável, né?! Porque tô sempre trocando de preferências, mas hoje, estes são os 10 paraenses que mais curto seguir na nossa rede queridinha. As escolhas, óbvio, não levam em consideração a quantidade de seguidores, tem relevância maior que um bom conteúdo?!

1 – @nayjinknss

Essa é a minha preferida do feed da Nay

Só as pedras

157

A Belém que ninguém quer mostrar é a cidade que a gente vê no perfil da Nay. Seus posts visibilizam os anônimos, contam histórias emocionantes, registram o cotidiano das periferias e dão outras cores à capital que nem só de Círio e carimbó vive.

2 – @jeoneto

Cotidiano Kayapó

Alter do Chão/Santarém

Último rolo pra terminar a rede de pesca

Sou magoado com o Zé até hoje por ele ter abandonado a carreira promissora de youtuber, mas que bom que ele continua emprestando seu olhar e talento a redes como o Instagram. Nela, ele registra suas andanças pelo Pará e compartilha com a gente causos, vivências e histórias que coleciona a cada cidade que visita. Não se esqueça de assisti-lo nos stories também.

3 – @marcionagano

Melanina Marajoara

O sol está servido (Pindobal/Belterra)

Preto e Branco

O Márcio Nagano é do audiovisual e, mesmo com anos de experiência, ainda não desbravou redes como o youtube, mas segue arrasando nos cliques pro Instagram. Ainda bem!

4 – @carachesti

Marujada (Bragança/PA)

Carnaval em São Caetano de Odivelas

Eu amo essa foto!

Eu ia falar que o Bruno Carachesti é um dos fotógrafos que melhor capta o cotidiano belenense, porém selecionando agora as fotos pra esse post, vejo que não só de Belém, mas do Estado. Momentos importantes para o povo paraense, como a Marujada, festejos juninos e o Círio, estão retratados lindamente no perfil dele.

5 – @naydoliveira

Dona da Ilha do Combu

Toda a classe dessa maquiadora elegante

Quinto dia útil

Maquiadora e Digital Influencer de Classe Média em ascensão. Assim que a Nay se denomina na bio do seu instagram. No quesito BORDÕES, ela é a nossa linda linda linda Thaynara OG e não se discute isso, #PAS! Humor, maquiagem, séries, ostentação e um vasto elenco fazem parte dos stories mais comentados da cidade. (não se preocupem, quando ela posta stories demais, eu sou o primeiro a brigar com ela!)

6 – @belemphotos

Ver-o-Peso por Socorro Simonetti

A galeria de fotos que também é sala de cursos

Cores do Veropa por Turiano Neto

O Belém Photos é um dos perfis colaborativos mais seguidos no Pará e um dos melhores também. Um instagram ótimo pra se descobrir talentos pela cidade, sempre em destaque no feed deles. O projeto cresceu e hoje é também um espaço com galeria de fotos, coworking, sala de cursos e estúdio fotográfico, no centro de Belém.

7 – @orodrigobittencourt

Já colocou tuas ideias no papel?

O menino do audiovisual

Dicas do Rodrigo pra quem quer produzir conteúdos digitais

Dessa lista, o Rodrigo é o único que não mora mais em Belém, mas entrou aqui porque sim. Perfil recomendado pra quem deseja produzir bons conteúdos pras redes sociais, mas não sabe por onde começar. Ele é filmmaker, youtuber e defensor dos vídeos na vertical. Bom também acompanhá-lo nos stories.

8 – @thiago_gomes_photography

A chegada em São Félix do Xingu

Motim (Castanhal/2014)

Mangueirão

Thiago é fotojornalista e, na minha opinião, deveria ter muito mais seguidores do que tem hoje. O feed dele é um mergulho em cenas genuinamente paraenses e é sempre muito bom vê-lo.

9 – @lulymendonca

Sócia-proprietária do Combu, junto com Nay D’Oliveira

Pepekas Poderosas

Moda, bichos e feminismo são temas recorrentes no perfil da Luly

Luly é uma das pessoas que mais se permite brincar com o feed. É uma criatividade sem fim. Já teve perfil monocromático, já arranjou briga nos stories com influenciadora famosa e agora canta tocando ukulelê. Moda, bichos, Combu, viagens e feminismo são os temas que mais você vai ver no perfil dela. Além dessa lista, já entrou na de influenciadores que admiro e se nesse blog rolar uma lista de stories preferidos, ela também vai estar. Juro, não tô pegando a Luly!

10 – @eguadaphoto

Que hora, Belém?

Amor ribeirinho

Pavulagem na praça

Pra começar, eu amo demais o user ‘égua da photo’, é uma frase que a gente repete tanto… ❤ O perfil é do Diego Michel e tem um daqueles feeds pra gente passar horas admirando e stalkeando.

Ah, e se sobrou espaço aí, o meu perfil no instagram é Petterson Farias.