Bata na porta antes de entrar (nas redes sociais também)

Perfil do outro nas redes sociais é como a casa dele: não entre sem ser convidado, muito menos sem pedir permissão. E talvez você já tenha esse entendimento e se comporte direitinho no Instagram, Twitter ou Facebook, por exemplo, mas é uma pena que no WhatsApp você ponha tudo a perder, por causa de comportamentos invasivos, que não respeitam a privacidade de ninguém. 

Se nessa que é uma das últimas fronteiras entre seu produto/serviço e seu consumidor, suas atitudes atormentam o sossego alheio, você até pode ter acertado inúmeras vezes, ainda assim, tudo que vai conseguir é irritar as pessoas que interessam ao seu negócio.

LEIA: 25 dicas para sua marca se relacionar melhor no WhatsApp

Logo, só interaja com seu público no WhatsApp se ele autorizar. Mesmo que seja um cliente assíduo ou um seguidor fiel, antes de qualquer coisa, pergunte se pode. E mesmo que ele autorize, respeite horários; só o inclua em grupos se ele quiser; seja sucinto, direto; não abuse de listas de transmissão; envie conteúdos criativos e não propagandas em demasia; seja útil e relevante; e, acima de tudo, esteja disponível para quando ele precisar. 

Rede Social é via de mão dupla e enquanto seu foco for apenas nos seus interesses, sem disposição para ouvir e satisfazer o outro, a relevância e o sucesso que sua marca tanto procura, vão continuar se escondendo de vocês. Vai por mim!  

Estas e outras dicas, você encontra aqui: https://www.instagram.com/pettersonfarias/

Pare de botar preço no trabalho alheio

Ei, amigo, pare de tentar botar preço no meu trabalho, por gentileza!⁣

Combinemos assim: eu não apareço na sua empresa tentando comprar seu produto/serviço mais valioso por dois reais e você não tenta pagar pelo meu trabalho o que ele não vale, beleza? ⁣

Reflita comigo: se você deseja contratar um creator ou social media, é porque você acredita que ele pode te ajudar. Então não estrague essa relação promissora já no primeiro contato. Aqui do outro lado, há pessoas que investem em graduação, qualificação, equipamentos, estrutura, tecnologia, equipe – sim, igualzinho a você -, itens que custam caro e que, infelizmente, ainda não são pagos com “mimos”. Só nós sabemos o quanto custa a nossa produção de conteúdos, logo, confie no que a gente te diz.⁣

Porque se você, marca/empresário/cliente, tenta à exaustão barganhar, tirar proveito de negociações que, ao invés de buscarem descontos, só diminuem o valor do outro, sinto muito, mas o máximo que você vai conseguir é demonstrar seu jeito leviano e desonesto de tentar ganhar em cima do negócio alheio. E isso, não digo que pra todo mundo, mas pra muita gente é feio demais. ⁣

Permuta, recebidinho, desconto, abatimento, parcelamento NUNCA (vou repetir: NUNCA) foram palavras proibidas em nosso vocabulário, mas compreenda e respeite quando te dissermos o quanto o nosso trabalho vale. Esse é um bom começo em qualquer conversa, viu? Vai por mim.⁣

Com amor, ⁣
Petterson.

Seu tempo não é o tempo do outro

‘Sua urgência não é responsabilidade minha’. Você é capaz de entender isto? 

Sei bem no que resulta o uso contínuo das redes sociais: entre outros efeitos colaterais, a ansiedade e o imediatismo, quase sempre, se estabelecem como verdadeiros maestros das nossas relações digitais, confundindo papéis, invadindo privacidades, potencializando egoísmos e causando enormes incômodos em trocas que deveriam ser pautadas, antes de qualquer coisa, no respeito, na empatia e no cuidado com o outro.

E se isto não é certo, precisamos – me incluindo aqui, tá?! – nos educar, né?! Começando pelo real entendimento de que seu tempo é diferente do meu e eu nada tenho a ver com seus deadlines curtíssismos e prazos pra ontem. Arque com as consequências do seu (não) planejamento sem causar terror e pânico nas pessoas, por gentileza. 

Se o orçamento é pra quarta-feira, que tal solicitá-lo, no mínimo, dois dias antes? Se a criação precisa ser aprovada até dia 15, legal entrar em contato semanas antes, hein?! Só lembrou do trabalho no domingo à noite? Espere amanhecer pra ligar em dia e horário comerciais, o mundo não vai acabar nas próximas 12 horas, juro. Saiba esperar a resposta no WhatsApp, no direct, no e-mail. O mundo não gira no seu entorno e as pessoas não vivem inertes apenas à espera do seu próximo contato: elas também têm suas demandas, agonias, famílias, seus processos, seus ócios, seu TEMPO. 

Não é porque você está pagando que tem direito de ser abusivo. Dê espaço, não sufoque. Trate as pessoas como você gostaria de ser tratado, pra que a relação (de trabalho, de namoro, de amizade) seja satisfatória pra ambos os lados, na Internet também. 

Óbvio que há exceções. E eu NÃO estou falando delas. Meu papo é com pessoas e marcas insistente e recorrentemente disponíveis APENAS quando é pra olhar pros seus próprios umbigos. Deus e o mundo estão vendo…

Por fim, eu entendo: contatos apressados irão acontecer. Orçamentos, conversas, telefonemas e reuniões PRA AGORA, eventualmente, serão inevitáveis. Portanto, quando isso acontecer, aprenda a valorizar e agradecer quem foi gentil e empático com você. Feedbacks como, por exemplo, ‘VOCÊ NÃO FOI APROVADO, MAS AGRADEÇO A DISPONIBILIDADE’ e ‘OBRIGADO POR RESPONDER’ não fazem cair o braço de ninguém. E ó, garanto, quem está do outro lado vai ficar muito feliz. 

Agora respira, caralho!
Bora junto! Beijos ❤

https://www.instagram.com/pettersonfarias/

Sobre creators e outras aflições

Se você cria conteúdos para as redes sociais, quer seja para sua marca, seu contratante, quer seja para seus perfis pessoais, você, com certeza, já sentiu uma leve angústia ao se deparar com algumas aflições recorrentes na vida de creators/social medias.

Caso este seja o seu caso, deixa eu te falar.

1 – COMECE COM O QUE TEM!

Essa coisa de esperar o momento ideal para produzir, em que você vai estar mais preparado, munido com os melhores equipamentos, assessoria, equipe, entre outros, só vai te atrapalhar, porque quer saber de uma coisa? Esse dia pode nunca chegar. Perca o medo e comece hoje mesmo com aquilo que você tem em mãos. Mais do que do perfeito, a Internet gosta do FEITO. Clichezão, eu sei, mas um clichê real oficial. Com o resultado dos primeiros trabalhos, eu garanto, você vai se aperfeiçoar, enriquecer seu arsenal de produção e profissionalizar seus conteúdos digitais.

2 – A VERGONHA SÓ VAI EMBORA POSTANDO

Esse receio e esse medo são mais comuns do que você pensa, mas eles não podem te imobilizar. A má notícia é que a vergonha só vai embora gravando, fazendo, postando. Já a boa é que isso acontece assim que as primeiras interações positivas chegam. Então aí vão algumas dicas: comece gravando só pra você e melhore aquilo que te desagrada; depois entregue seus conteúdos para quem você confia, namorado, esposa, melhores amigos, família; por fim, com mais autoconfiança, abra para o público suas publicações e acolha o seu Feedback.

3 – QUEM DISSE QUE HÁ FÓRMULAS?

Procurar insistentemente por respostas prontas sobre conteúdos digitais só vai te afastar de um trabalho único, consistente e genuíno. Se as redes sociais são suficientemente democráticas e abertas ao diferente, use isto a seu favor. Ao invés de ficar o tempo inteiro buscando por horários nobres, número de seguidores necessário para ser influenciador, melhores hashtags para ‘bombar’, frequência ideal de postagens, foque em se relacionar com a sua audiência, a partir dos seus conhecimentos, talentos, paixões e habilidades, e em entregar o que ela pede. Nesse processo, com toda certeza, você vai encontrar sua missão, sua verdade e suas próprias fórmulas.

4 – FAÇA SENTIDO PARA QUEM TE SEGUE

Redes Sociais, entenda, não são sobre agradar o mundo inteiro, mas sobre conquistar quem importa. Portanto, descubra, entenda, conheça e se relacione verdadeiramente com o público que você quer ver consumindo seus conteúdos, mensagens, produtos e serviços. E aprenda a ignorar o que qualquer pessoa fora desse nicho, dessa sua comunidade, pensa acerca do que você produz e entrega na Internet. Seus conteúdos são para os seus seguidores. Os outros são os outros.

5 – VÃO TE COPIAR!

Já internalize isso para não sofrer mais adiante. E quando acontecer, abstraia, só copiam o que é bom.

Agora é com você. Boa jornada!
Estas e outras dicas, você também encontra aqui: https://www.instagram.com/pettersonfarias/