O que esperamos das marcas nas redes sociais?

Em qualquer esforço de comunicação digital, atirar no escuro ou apenas seguir o fluxo sem refletir sobre o que está sendo entregue ao público pode ser muito prejudicial. Internet não é bagunça e você precisa, minimamente, entender o que seus seguidores esperam de você enquanto marca. 

Foto: Tereza & Aryanne

Algumas dessas expectativas que nós, enquanto consumidores, temos, eu compartilho aqui com vocês.

1 – Relacionamentos e afetos

Entre nas redes sociais para criar relacionamentos e trocar afetos. Ok, talvez soe piegas isso, mas o resultado é real. Grande parte do baixo engajamento das marcas na web se deve ao fato de que elas se preocupam bem mais com a propaganda dos seus produtos e serviços e pouco se dispõem a se relacionar profundamente com seus seguidores e clientes.

Empresas centradas somente em si, que não olham para os lados, não falam na língua dos consumidores, não conversam e usam seus perfis somente para exposição dos seus negócios ainda precisam aprender muito para, de fato, engajar e atingir seus objetivos na Internet.

> Crie diálogos: não adianta você ter a postagem mais bonita se você não responde comentários, só manda coraçãozinho no direct, ignora inbox e e-mail e segue falando sozinho achando que essa é a melhor estratégia. Seguidores gostam de se sentir valorizados, fazendo parte da comunicação da marca. Se possível, enquanto conversa, chame as pessoas pelo nome!

> Acredite nas entrelinhas: seu interesse ao entrar numa rede social pode ser gerar vendas, bater metas, aumentar lucros, mas jamais transfira esse seu desejo (ou desespero em alguns casos) para quem te segue. As pessoas não acessam Facebook, Instagram, Youtube, por exemplo, para serem impactadas por publicidade. Portanto, entenda sua estratégia na rede como um jogo de sedução, em que, pra conquistar alguém, você não precisa a todo instante reafirmar seu intuito comercial. Venda de forma invisível, seja criativo, interessante, pertinente, atenda necessidades e desejos dos seguidores, compartilhe expertises, responda perguntas. Só assim eles vão se interessar pelo conteúdo que você entrega e, quem sabe, dar ‘Match’ com seus produtos e serviços.

Você pode compartilhar curiosidades do seu universo como o Jardim da Saudade

Ou compartilhar as melhores coxinhas da cidade como os meninos da @macucotv

Ou ajudar suas noivinhas com dicas sobre orçamento como faz o @mia.decor

> Não mendigue atenção: ‘me curta, comente meus posts, compartilhe meu vídeo’. Abordar individualmente as pessoas assim é muito chato e pra uma marca pode pegar muito mal. Suas postagens terão sempre o alcance que merecem ter. Se as pessoas não interagiram com elas, é porque não foram suficientemente interessantes. Então antes de pedir likes, comentários e compartilhamentos, reveja sua estratégia e seja mais criativo nos conteúdos futuros.

É óbvio que você pode direcionar esse seu pedido para um público amplo (como faço no final desse post), sem problema algum. Só não constranja INDIVIDUALMENTE as pessoas, para que elas não se sintam coagidas a interagirem com algo que elas não gostaram.

> Dê antes de receber: Marketing de Conteúdo é, em suma, entender essa lógica e entregar ao público postagens e temáticas que, dialoguem com o universo da sua marca, mas que, sobretudo, respondam e atendam perguntas, necessidades e desejos de alguém. Preocupe-se sempre em ser útil, entretendo, informando, inspirando e/ou educando. Fazendo isso, naturalmente seus seguidores vão se interessar pelo que você tem a oferecer.

Você pode compartilhar caseirices como faz @acasacomoelae

Ou brincar com o universo das séries como faz a doceria @take1doceria

E até abordar temáticas mais sérias como o perfil @todxsbrasil

2 – Discursos mais profundos

E dentro dessa lógica de Marketing de Conteúdo, você deve estar se perguntando: se não for pra falar de mim, do meu produto, da minha marca, o que sobra? Sobra tudo, sobra o mundo. Negócios que se permitem sair do protagonismo e usam suas redes sociais como plataformas para discursos profundos, causas sociais, temáticas importantes, têm chances maiores de se destacar.

Então a partir do relacionamento que você deve construir com seu público, descubra sobre o que ele está falando naquele momento; entenda suas visões de mundo; seus ideais; seus estilos de vida; suas agonias, expectativas, interesses; e fale sobre cada um deles. 

É impossível generalizar a noção do que é um conteúdo interessante, porque isso varia bastante. Internet é feita de nichos, comunidades e cada um com interesses diversos. Por isso, é seu papel, a partir de conversações, entender o que é pertinente para o seu público. 

De repente, seus seguidores querem ver você se posicionar sobre causas específicas, como o feminismo, diversidade e/ou tolerância religiosa. Talvez não, de repente, eles querem saber o que você acha da causa animal, da causa amazônida, da sua consciência ambiental. Em algumas situações, você pode fisgar esse público dialogando sobre indígenas, nordestinos, crianças, idosos, entre outros.

Mas vale uma ressalva: fale sobre assuntos que você tenha conhecimento, que você domina e pratica no mercado. ‘Surfar na onda’ sem praticar o que você está propagando aos quatro cantos, pode ser um tiro no pé e afundar o seu negócio. Não seja oportunista, estamos de olho!

3 – Acesso à informação

Facilite a vida dos seus consumidores. Não seja um mistério, não torne suas informações uma caça ao tesouro. Seu produto, seu serviço, seu preço, sua localização não são o Santo Graal, portanto, compartilhe! 

Lembre-se sempre: nós estamos lidando com pessoas sem tempo e, às vezes, é necessário pouco menos de um segundo pra fisgar a atenção delas. Se você não democratiza aquilo que o público quer saber, sua concorrência pode entregar o que ele quer e roubar toda sua clientela. 

> Quanto custa: a não ser que políticas internas da empresa te proíbam, compartilhe seu preço. Qual o problema em dizer que seu prato custa 25 reais ou a sua saia custa 45?

> Geolocalização: compartilhe o seu endereço, porque ninguém é obrigado a saber onde seu ponto de venda está localizado;

> Horário de Funcionamento: deixe na sua bio seus horários; comunique em postagens, quando houver qualquer mudança no seu funcionamento, seus horários especiais no final de semana e no feriado, etc.;

4 – Consistência

Marca que entra quando quer nas redes sociais, faz uma postagem hoje e outra só daqui a 3 meses, jamais vai engajar. A internet também pede consistência, assiduidade. Planeje-se para cumprir o que você prometeu. Não importa se um vídeo por mês, um artigo por semana ou dois stories por dia, só não caia em descrédito traindo a expectativa do público que espera pelos seus conteúdos.

Além disso, viva a sua timeline: assista, interaja. Desse olhar frequente, você pode obter diversos insights e entregar material mais assertivo para os seus seguidores.

Gostou? Então compartilhe esse post com alguém. Eu também estou no Instagram, onde sempre compartilho mais dicas como estas. Siga: pettersonfarias

Meus livros preferidos de 2018

Entre altos e baixos, no ano passado, o saldo foi de 25 obras lidas: de leituras sobre Marketing e Comunicação Digital, minhas profissões, a diversos autores inéditos que foram ótimas surpresas pra mim. Entre eles, escolhi meus cinco livros preferidos. O mais legal de tudo: ainda não tinha lido nenhum destes autores da lista antes de 2018. 

Os livros que li em 2018. Falei de cada um deles no Cacos Metafóricos

1 – Um Milhão de Finais Felizes – Vitor Martins

‘Eu te amo e tenho certeza de que, mesmo passando por tanta coisa ruim na vida, você ainda guarda um milhão de finais felizes aí dentro’. Ah, cacete! Mais uma daquelas frases que mexem demais com a gente! Eu amei esse livro do @vitormrtns, assim como Quinze Dias, sua primeira obra, porque neles a gente se enxerga, neles, o autor fala de nós: gays brasileiros fora do padrão e viciados em memes de Internet. AAAAA

A história de amor do Jonas e Arthur, o Barba Ruiva, é boa do início ao fim. E mesmo aparentando ser, num primeiro olhar, mais um desses romances juvenis água com açúcar, ele aborda diversos temas delicados e muito necessários, como a relação entre homossexualidade, família e religião. Livrão, sim! E eu terminei apaixonado pelo casal, quase stalkeio os dois no Instagram pra propor um poliamor, aí lembrei que eram só personagens. 😦 Que alegria ter Vitor Martins entre nós. Que venham outros finais felizes por aí!

2 – Quem Tem Medo do Feminismo Negro? – Djamila Ribeiro

E aí, quem tem medo? Que livro mais necessário esse, hein?! Uma obra que escancara duas grandes doenças da nossa sociedade, o Machismo e o Racismo, e traz à tona diversas discussões, como o próprio Feminismo que, segundo ela, durante muito tempo invisibilizou a luta da mulher negra; e o uso de termos que a gente segue reproduzindo sem nem perceber que eles carregam consigo uma lógica racista. MULATA, por exemplo, que significa uma mistura imprópria, que não deveria existir, e se referia, lá atrás, a bebês nascidos com a pele mais clara por conta da mistura entre a escrava e o senhor do engenho. É uma leitura que indico demais, sobretudo pra você que não se acha racista, mas não entende muitas das dificuldades que as mulheres negras passam. ‘Quem tem medo do feminismo negro?’ é pra ler de peito aberto, sem medo, mesmo que você se depare com alguma atitude racista relatada e que você, infelizmente, ainda reproduz. Viva @djamilaribeiro1!

3 – 1984 – George Orwell

E aí que, justo num ano político complicado para o Brasil, eu resolvi ler 1984 e desgraçar ainda mais meu juízo. Um livraço, inclusive. O protagonista vive sob um regime político de opressão, representado pela figura do Grande Irmão, o olho que tudo vê. Na Oceânia, pensar diferente é crime. Ser contrário, transgredir; esboçar alegria ou prazer, crime também; que pode levar uma pessoa à tortura e até à morte. George Orwell narra uma história longe de ser mera ficção, fala de exercícios de poder que já devastaram diversos povos e que ainda ameaçam sociedades como a nossa. É uma baita obra, vale muito a pena ler.

4 – Marketing de Conteúdo Épico – Joe Pulizzi

‘Os seus clientes não se preocupam com você, seus produtos ou seus serviços. Eles se preocupam consigo mesmos’. @joepulizzi, um especialista até então desconhecido pra mim, vai na ferida e explica os motivos que levam muitas marcas a fracassar nas redes sociais: pautadas na única preocupação de somente vender seus produtos, deixam de olhar pros lados, contar histórias e produzir conteúdos que impactem de fato a vida das pessoas. Bato nessa tecla há séculos e ele, nesse livro, atesta que ganha mais quem usa a Internet para produzir conteúdos relevantes e pertinentes, porque só assim conseguimos nos destacar na multidão. Ótima leitura, não dou nota máxima, porque, mais uma vez, por se tratar de uma obra sobre marketing digital, é normal que alguns conceitos envelheçam com o tempo. Mas super recomendo!

5 – Me Chame pelo Seu Nome – André Aciman

‘É a primeira lembrança que tenho dele, e parece que ainda hoje consigo ouvi-lo. Até depois! Fecho os olhos e estou de volta à Itália, observando-o sair do táxi com uma camisa azul esvoaçante, óculos escuros, muita pele à mostra’. Eu ainda estou impactado com esse livro do André Aciman. Nada mexia tanto comigo desde ‘Travessuras da Menina Má’ e ‘Precisamos Falar Sobre o Kevin’. Que história mais sensível, quente e incrível. Oliver e Elio, um descobrindo no corpo e na alma do outro todas as nuances de um amor potente, entre dois iguais, no interior da Itália. As sentimentalidades escondidas querendo explodir; as descobertas sexuais; os altos e baixos de um coração confuso; o amor tímido; os diálogos de dois apaixonados; a viagem para Roma; tudo isso fez de ‘Me Chame Pelo Seu Nome’ um dos livros mais lindos que já li. Está no meu Top 3, sem dúvida alguma. É uma obra delicada, mas sem ser clichê. Retrata lindamente o primeiro amor na vida de um gay: as dúvidas, os medos, as angústias, os sentimentos ditos nos gestos mais sutis, como o pé de um enterrado no pé do outro por baixo da mesa, absolutamente tudo, ilustração fiel do que um dia já vivemos ou ainda vamos viver. ‘Você vai me matar se parar’. Leiam, vocês não vão se arrepender!

LIVRO BÔNUS

Empreendedorismo para Subversivos – Facundo Guerra

Embora Facundo Guerra afirme que empreender seja uma ciência inexata, uma arte, um caminho e que cada um deve, sim, escrever sua história à sua maneira, o livro ‘Empreendedorismo para Subversivos’ abre a nossa mente para esse universo e desconstrói muito do que se propaga acerca de um empreendedor. Alguns dos aprendizados que levo pra vida depois dessa leitura são esses:

– O empreendedor sabe que existem outras grandezas além do dinheiro. O empresário nem suspeita disso;

– Não se posicionar sobre causas controversas pode ser o beijo da morte de uma marca. O discurso ‘nossas marcas não se posicionam politicamente’ não cola mais. Hoje os consumidores entendem que as corporações são grandes articuladoras de energias diversas e, sim, muitas vezes têm maior capacidade de mudar o seu entorno do que governos;

– Tenha um propósito: a razão que te faz empreender. Se fizer isso só para ser rico, suas chances são diminutas. Produza com propósito: para aumentar seu capital social, sua vaidade, busca por excelência, ego ou sentimento de grandeza, reputação, curiosidade, enfim, a lista é enorme!

– Empreenda no intuito de resolver um problema. Concentre seu foco e sua energia para solucionar um problema legítimo e não somente para desenvolver um alto grau de inovação por puro fetiche, como no refinar de um produto que não precisava, no final das contas, de refinamento algum;

– Saiba quando parar. Seu negócio foi criado com uma narrativa e qualquer narrativa precisa de um fim. Não acredite que seu negócio durará para sempre porque não vai durar. Seja maduro e planeje até onde ele pode ir.

Se você quiser acompanhar as minhas leituras, siga o Cacos Metafóricos também. Até o próximo post!

Impressões sobre Nova York

Eu amei Nova York. Fui, irei novamente e recomendo pra quem quer que seja. Estive lá no finalzinho de 2018 e anotei algumas dicas pra compartilhar com você, que pretende ir logo mais e não sabe por onde iniciar a pesquisa dessa viagem.

Pra começar, o aeroporto é bem distante do centro de Manhattan e há inúmeras possibilidades de transporte. Nós fomos de Transfer (uma espécie de motorista particular que te apanha na saída do aeroporto, $130) e voltamos de Uber (pagamos $83 porque pedimos em horário de pico). Mas há opções bem mais em conta, como ônibus e metrô, por exemplo.

Visto
O que mais me afastava da vontade de conhecer os Estados Unidos era a impressão de que tirar o visto seria difícil demais. Mas descobri que há diversas assessorias especializadas em visto e acabei contratando uma delas. A Globalvisa (tem em todo o Brasil) foi a escolhida. Eles nos ajudam desde o preenchimento do formulário em inglês até às dicas de como se comportar na entrevista. Eu escolhi ser entrevistado em Recife e foi muito tranquilo. As pessoas nos metem tanto medo, mas comigo foi super de boa. Três perguntinhas e, em menos de dez dias, o visto estava nas minhas mãos.

Hospedagem
Nossa escolha foi o Radisson Martinique, que fica na 32 street, entre a quinta e a sexta avenida. Embora o hotel não ofereça café da manhã (você pode pagar por fora) e o preço não seja tão barato assim, a localização vale muito a pena. No entorno, as principais lojas, boas lanchonetes, restaurantes e alguns dos pontos turísticos mais famosos da cidade, como o Empire State e a Times Square.

Alimentação
Eu sinceramente esperava mais. Ok, ok, que a gente vive num país de gastronomia sem defeitos, mas, de fato: assim como não comi nada ruim, também nada me surpreendeu. Em média, gastamos 25 dólares por refeição, comendo duas ou três vezes ao dia. E claro, nos entupimos dos famigerados brunchs e burgers de fast foods como The Five Guys, Starbucks, The Harold, Panera Bread e Shake Shack.

Mas uma coisa eu amei: nos restaurantes sempre têm água da casa e em abundância. ❤

Nossa primeira refeição na cidade. No The Harold, que fica ao ladinho do Hotel Radisson Martinique

The Harold

Idioma
Nova York é uma cidade bem receptiva e generosa com os turistas, mas se eu não estivesse com alguém que fala em inglês, eu teria encontrado dificuldades, porque na hora H, por mais que você entenda minimamente o idioma, bate o nervoso, a mente trava e você passa vergonha. Agora uma coisa é certa: em uma semaninha, você já começa a ter algumas noções de como pedir as coisas em lojas, restaurantes e consegue estabelecer um contato mínimo pra não morrer de fome nem ficar mudo na frente dos outros.

Dezembro: dias frios, clima natalino morno
Pra quem ama o frio, o mês de dezembro é ótimo, porque é quando a temperatura cai bastante, mas não esfria tanto quanto de janeiro em diante, eles dizem. É um mês especial também porque a cidade se enfeita para o natal, mexendo assim com todo aquele nosso imaginário, adquirido com muitos filmes da Sessão da Tarde. Se você for nessa época, a sua primeira compra deve ser: luvas e camisa térmica. A minha camisa eu comprei por 19 dólares na Uniqlo.

Mas ó, preciso ser honesto com vocês, mesmo com as lojas enfeitadas, a árvore enorme e linda do Rockfeller, entre outros atrativos, eu esperava mais do clima natalino de Nova York. Pelo menos comigo, rolou uma leve decepção.

A famosa árvore natalina do Rockefeller

Roteiros Turísticos
Uma das minhas maiores dificuldades ao pesquisar turismo em NYC foi descobrir o que é perto de quê. Os blogs e canais especializados não falam muito sobre isso. Fui morrendo de medo de não entender as distâncias e proximidades e gastar o dobro de dinheiro visitando em dias diferentes pontos turísticos próximos.

Mas pra minha surpresa, além de Nova York ser uma cidade muito fácil de se entender, por causa das ruas numeradas (isso é maravilhoso!), há umas regiões que aglomeram diversos pontos icônicos, te permitindo assim, num dia, conhecer tudo de uma só vez.

Como essa minha primeira viagem foi menos pra produzir conteúdo e mais pra namorar, descansar e conhecer, a gente não se forçou a correr demais pra fazer mil check-ins. Porém, abaixo seguem alguns lugares em que estive e como você pode se organizar pra visitá-los também:

Roteiro 1

Oculus, Memorial World Trade Center e One World Observatory. Próximos dali estão também a grande loja da Century 21 e o polo gastronômico Eataly;

Oculus é estação de trem, shopping center, ponto turístico e faz parte do grande complexo que relembra os atentados de 11 de setembro

Uma curiosidade: Oculus é projeto do arquiteto Santiago Calatrava, o mesmo que projetou o Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro

Roteiro 2

Catedral St. Patrick, Top of The Rock que tem vista panorâmica e a famosa árvore de natal do Rockefeller Center com sua pista de patinação;

E esses raios de sol fazendo a catedral brilhar? ❤

Interior da Catedral St. Patrick

Roteiro 3

Empire State Building, Biblioteca Pública e a Grand Central Station, que embora seja uma estação de trem e metrô, é um lugar bem bonito pra visitar;

Biblioteca Pública de Nova York que, assim como o Empire State, fica na Quinta Avenida

Pegando um trem na Estação Central pra ir à Stanford


Roteiro 4

MoMa – The Museum of Modern Art; Central Park e MET – The Metropolitan Museum of Art (preciso avisar que nesse caso, os museus não são tão próximos um do outro como nos outros roteiros);

No acervo do MoMa, obras de Van Gogh, Andy Warhol, Picasso e outros artistas incríveis. O espaço tem ainda uma livraria, uma lojinha que achei cara demais e um café que tem um sanduichinho de salmão e um suco MARAVILHOSO!

A entrada no MoMa e no MET custa 25 dólares

Central Park

The MET

Roteiro 5

Times Square; Madison Square; loja B&H; e outras dezenas de lojas;

Transporte
Melhor meio de locomoção: seus pés. Hahaha
Sinceramente? Andamos de uber umas três vezes (o app lá não aceita dinheiro, apenas cartão) e depois descobrimos que há ainda outros aplicativos mais baratos que ele. Pegamos trem e metrô apenas uma vez. E durante sete dias, caminhamos como se não houvesse amanhã. Tomando a Quinta Avenida como referência, por exemplo, você rápido aprende o que fica pra cima e o que fica pra baixo e logo você se localiza.

Além de o trânsito de NYC ser caótico como em qualquer outra grande cidade do mundo, bater perna te ajuda a conhecer os lugares, se localizar mais rápido e dar aquelas paradinhas quando bem entender no meio do caminho, pra entrar numa loja, num restaurante, etc. Andar a pé vale a pena!

Stonewall

Um dos momentos mais emocionantes nessa viagem pra mim, foi a visita ao pub Stonewall, que fica em Greenwich Village, e é símbolo da revolta que, em 1969, mobilizou gays, trans e outros marginalizados a lutarem contra a repressão da polícia, numa época em que a homossexualidade era considerada uma patologia nos Estados Unidos. O enfrentamento daquela madrugada mobilizou pessoas, uniu sentimentos e resultou em outras lutas que culminaram na Parada do Orgulho, que é realizada até hoje, não só na América, mas em todo o mundo.

Estar lá me emocionou. Foi um momento de agradecimento a todos aqueles que vieram antes de nós e lutaram por uma sociedade mais justa, tolerante e livre.

Compras
Tudo que falarem de bom da Century 21, acredite, é verdade! A loja tem de tudo e se você não se policiar, você deixa sua vida lá. A Zara, assim como aqui no Brasil, eu amei. E fiquei apaixonado pela Urban Outfitters também.

Se você ama audiovisual, não deixe de visitar a B&H, que tem de tudo pra quem produz fotografia, vídeo e/ou conteúdos para a Internet. Só atenção para os horários de funcionamento.

E pra quem é amante de Literatura, recomendo uma visita (com tempo disponível) à Strand Books. Essa livraria me enlouqueceu! Amei demais!

Agora assim, se você tem juízo, converta antes de comprar, porque às vezes pode sair mais caro que comprar no Brasil.

Strand Books

Não é uma livraria tão barata, mas do lado de fora eles mantêm umas prateleiras com diversos livros a 1 dólar

Wi-Fi
Acesso à Internet por toda parte. Quanto a isso, nem se preocupe. Da lanchonete da esquina ao hotel, em todos os lugares é bem facinho se conectar. Emprestamos um chip de um amigo do meu namorado, mas se estivéssemos sem ele, ainda assim nos viraríamos muito bem.

Por último, um blog que me ajudou bastante com dicas de Nova York foi esse aqui: nyandabout.com

Nos destaques e no IGTV do meu Instagram, você pode assistir a todos os stories da viagem. Siga instagram.com/pettersonfarias


Até a próxima!

Melhore seus stories: 14 dicas que podem te ajudar

É inegável a importância dos STORIES em qualquer estratégia de comunicação digital hoje em dia. Muitas vezes com o seu alcance equiparado ao das postagens no feed, esse recurso do Instagram segue sendo uma boa opção para atingir e conversar com seu público. E como ser ainda mais interessante e relevante nas fotos e vídeos verticais que duram 24 horas? Eu te ajudo com algumas dicas.

1 – Vá direto ao ponto!

Os stories têm curta duração e não é por acaso: a atenção das pessoas está escassa e é disputada por milhares de conteúdos diários na Internet. Se você quer fisgar alguém, não enrole! Já aborde o assunto que você quer na primeira imagem (ou vídeo) e não entre nessa de criar expectativa em 4, 5 vídeos, porque nesse intervalo, a pessoa pode perder o interesse e te deixar falando sozinho.

2 – Seja sucinto!

Assim como é importante ir direto ao ponto, é necessário também ser sucinto. Se o assunto pede 4 stories, não há motivos para você se estender por outros dez. Mesmo que você ame e domine o tema abordado, fale o indispensável e se mantenha interessante do início ao fim, ao invés de cansar quem está te vendo. Em alguns casos, escrever e ensaiar o que você quer dizer, pode ajudar.

PS: Não há uma quantidade ideal de stories. Eles têm que durar o tempo que o conteúdo pedir.

3 – Cuidado com as mãos

Elas podem roubar o seu protagonismo e desviar a atenção dos seus seguidores. Enquanto você estiver falando pra câmera, mostre as mãos o mínimo possível. Se for difícil no começo, tente prendê-las na cintura, rs.

4 – Centralize seus textos

O seu celular não é, necessariamente, o mesmo de quem te segue, por isso, evite textos nas extremidades dos seus stories. Por mais que esteja tudo certinho na sua tela, na do coleguinha as frases podem estar cortadas e as palavras podem estar aparecendo pela metade. Portanto, textos centrais sempre.

5 –  Fale pra fora!

Não sussurre, fale num tom razoável para que as pessoas te ouçam. Mas é pra gritar? Não, meu anjo, não tem necessidade, até porque muita gente assiste aos seus stories com o fone no volume máximo. Porém, falar baixo demais pode deixar seus stories monótonos e desinteressantes.

6 – Variar é importante

E por falar em monotonia, os stories nos oferecem diversos recursos e possibilidades justamente para que a gente use a criatividade e surpreenda nossa audiência com conteúdos diferentes e originais. Então que tal sair da zona de conforto e testar estes formatos? Revezar fotos e vídeos; alternar stories em que você aparece e vídeos do ambiente em que você está; usar trilhas e ferramentas de interação são algumas das formas de você não cansar e surpreender os seus seguidores.

7 – Não abuse do Zoom

O zoom tem um efeito legal para momentos de surpresa, suspense e pausas dramáticas, por exemplo, mas não abuse do recurso! Isso pode deixar seu conteúdo chato e o seguidor zonzo. Aliás, como eu disse, variar é importante, portanto, abusar de qualquer recurso nos stories não vai te ajudar em nada.

8 – Não deixe sobras no início e fim dos seus vídeos

Iniciar e encerrar o vídeo falando torna seu conteúdo mais dinâmico e dá menos chances ao seu seguidor de ele desviar a atenção. Se a sua frase durou 5 segundos, não espere chegar em 10 pra parar de gravar. Quanto menos sobras no início e no fim, melhor. E outra: as pessoas tendem a pular stories em que elas já adivinharam o que você queria mostrar ou dizer. Por isso, rapidez e criatividade para surpreender sempre!

9 – Não fale RÍSTORIS

O correto é ISTÓRIS. ❤

10 – Use as ferramentas do próprio Story

  • Localização

Além de dizer ao seu público por onde você anda, a localização te ajuda a alcançar pessoas que não te seguem, mas que se interessam pelo lugar em que você está, aumentando assim seus views.

  • Menção

Marque as pessoas que aparecem nos seus stories. Elas podem compartilhar seu conteúdo, fazendo assim você aparecer para mais gente também.

  • Perguntas e Enquete

Ao usar esses recursos, além de despertar nos seguidores o interesse de interagir, você pode concentrar num só lugar todas as respostas sobre determinado assunto. Enquete eu recomendo para perguntas de múltipla escolha, algo mais direto. Perguntas eu recomendo para aqueles momentos em que você necessitar de respostas mais elaboradas.

PS: diferente das mensagens do seu direct, respostas da Enquete e Perguntas somem em 24 horas.

  • GIF

Para tornar seus stories mais atrativos e divertidos, você pode usar os gifs disponíveis também.

11 – Use o Spotify

Caso queira usar trilha nos seus vídeos, uma forma de fazer isso sem ter que editar em outro aplicativo, é dar play na música dentro do Spotify e, em seguida, ir para o Instagram gravar seu story com a faixa tocando.

12 – Não enfeite demais

Editar fotos e vídeos pode ser legal em momentos específicos, mas se permita também postar stories menos elaborados e sem edição de vez em quando, porque conteúdos rebuscados demais podem passar a ideia ao seu público de algo muito publicitário, feito somente para vender, ou seja, tudo o que a gente não quer nas redes sociais.

13 – Seja humano!

Planeje o melhor conteúdo, tenha senso estético e muito cuidado com as imagens e temáticas dos seus stories, mas jamais abandone o seu lado humano. Vulnerabilize-se. Não há a menor necessidade de você aparecer sempre perfeitinho no vídeo, isso pode até afastar seus seguidores. Eles querem seguir pessoas reais. Então se permita mostrar seu lado humano: seus perrengues, seus altos e baixos, conquistas, mas erros e tropeços também. Claro, sempre respeitando sua privacidade. Não se esqueça: sua audiência segue sua vida como se fosse uma novela.

14 – Apps que me ajudam a editar stories

  • Perfect Video

Absolutamente todos os meus vídeos são editados nesse aplicativo, inclusive aqueles stories com imagens sobrepostas.

  • Canva

O Canva te ajuda em praticamente tudo nessa vida – de slides à cartazes -, até a fazer stories mais elaborados, com intervenções visuais, gráficas e textuais.

  • Picsart

Geralmente, eu uso o picsart pra fazer colagem de imagens e/ou sobrepor uma imagem na outra, quando quero, por exemplo, inserir um logotipo na foto. Assim como o Canva, ele pode te ajudar também.

  • Camcorder

Sabe aquele filtro de VHS, que envelhece os stories alheios? Pois é, você pode fazer isso também usando o Camcorder.

  • Vscocam, Snapseed e filtros do Iphone

Algumas pessoas se preocupam em editar imagens até pra postar nos stories e não se contentam com os filtros que a ferramenta disponibiliza. Se você é uma dessas pessoas, você pode usar o vscocam, o snapseed ou os filtros do próprio iphone pra isso.

Eu espero que essas dicas te ajudem de alguma forma. Se quiser contribuir com a lista também, fique à vontade, eu vou amar. Pra me acompanhar nos stories, só clicar aqui ou procurar por instagram.com/pettersonfarias. Beijo

Literatura LGBT: 5 livros que me fizeram muito bem

Representatividade importa tanto, muito mais do que você imagina! A possibilidade de se enxergar na música, nas novelas, nas artes plásticas e na literatura, por exemplo, devolve autoestima a tanta gente. Fortalece, inclui e dá poder a milhões de pessoas que passaram a vida inteira se achando menores simplesmente porque nunca se viram representadas em narrativas, personagens e obras que se recusaram a contar suas histórias.

Por isso vivo pra enaltecer quem, ao me representar nas artes, aquece a minha alma e me faz tão bem. Recentemente, na literatura, cinco livros mexeram comigo, sempre de um jeito diferente, mas de modo muito especial. Poesia, empatia, generosidade, informação e muito amor nutrem essas obras e dão a elas um valor inestimável. Espero que vocês leiam também e me digam depois o que acharam.

1 – A Cor Púrpura – Alice Walker

Celie é especial demais, cara. Tenho muito amor por ela. Negra, semianalfabeta e estuprada pelo padrasto, a personagem narra toda a sua vida em breves cartas para Deus e para sua irmã, e mesmo diante de tanta desgraça, seus textos, além de nos fazer refletir e chorar, ainda provocam o riso. ❤ Obrigada a se separar de seus filhos para se casar com um homem violento, ela vai encontrar amor justamente na sua relação com Shug Avery, amante do seu marido e uma mulher a frente do seu tempo, que ajuda Celie a se livrar de todas as amarras e sofrimentos da sua vida.

O livro premiadíssimo também virou filme, em 1985, dirigido por Steven Spielberg.

2 – Me Chame Pelo Seu Nome – André Aciman

‘É a primeira lembrança que tenho dele, e parece que ainda hoje consigo ouvi-lo. Até depois! Fecho os olhos e estou de volta à Itália, observando-o sair do táxi com uma camisa azul esvoaçante, óculos escuros, muita pele à mostra’. Esse livro do André Aciman me impactou demais. Nada mexia tanto comigo desde ‘Travessuras da Menina Má’ e ‘Precisamos Falar Sobre o Kevin’. Que história mais sensível, quente e incrível. Oliver e Elio, um descobrindo no corpo e na alma do outro todas as nuances de um amor potente, entre dois iguais, no interior da Itália. As sentimentalidades escondidas querendo explodir; as descobertas sexuais; os altos e baixos de um coração confuso; o amor tímido; os diálogos de dois apaixonados; a viagem para Roma; tudo isso fez de ‘Me Chame Pelo Seu Nome’ um dos livros mais lindos que já li. Está no meu Top 3, sem dúvida alguma. É uma obra delicada, mas sem ser clichê. Retrata lindamente o primeiro amor na vida de um gay: as dúvidas, os medos, as angústias, os sentimentos ditos nos gestos mais sutis, como o pé de um enterrado no pé do outro por baixo da mesa, absolutamente tudo, ilustração fiel do que um dia já vivemos ou ainda vamos viver. ‘Você vai me matar se parar’.

Também falo de Literatura aqui: @cacosmetaforicos

3 – O Fim do Armário – Bruno Bimbi

Bruno Bimbi é ativista e profundo conhecedor da história e da causa gay. Integrou a Federação LGBT que lutou pelo casamento igualitário na Argentina e é autor de O Fim do Armário. Topei com esse livro sem querer, procurando novidades na prateleira da livraria e trouxe pra casa. Belo acerto! Além de abordar camadas das nossas vidas de forma lúcida e didática, como as descobertas, o bullying, o próprio armário; Bimbi traz à tona aspectos políticos, narra como a homossexualidade é tratada em países do Oriente Médio, África, Europa e América; corrige conceitos e nos faz refletir sobre nosso papel nessa luta. Sim, é um livro empoderador (embora muitos rejeitem esse termo). Terminei bem feliz. A parte mais delicada é a que fala sobre as igrejas católica e evangélica, talvez você não goste do que vai ler lá! Mas é o que precisa ser dito e recomendo muitíssimo!

4 – A Garota Dinamarquesa – David Ebershoff

O livro é um recorte lindo e sensível da vida de uma mulher trans, que, ainda nos anos 20, enfrentou o medo, a falta de informação e o preconceito pra ser o que queria ser: Lili Elba. Inspirada em uma história real, a obra é maravilhosa, poética e poderosa. Pra mim, só peca nas partes demasiadamente descritivas, que quebram a narrativa, muitas vezes, apenas pra descrever o uniforme da atendente, por exemplo. Mas é lindo, curioso e arrebatador.

A Garota Dinamarquesa ganhou o prêmio Literário Lambda de 2000 na categoria de Ficção Transgênero e virou filme também.

5 – Um Milhão de Finais Felizes – Vitor Martins

‘Eu te amo e tenho certeza de que, mesmo passando por tanta coisa ruim na vida, você ainda guarda um milhão de finais felizes aí dentro’. Ah, cacete! Mais uma daquelas frases que mexem demais com a gente! ❤ Eu amei esse livro do Vitor Martins, assim como Quinze Dias, sua primeira obra, porque neles a gente se enxerga, neles o autor fala de nós: gays brasileiros fora do padrão e viciados em memes de Internet. AAAAA
A história de amor do Jonas e Arthur, o Barba Ruiva, é boa do início ao fim. E mesmo aparentando ser, num primeiro olhar, mais um desses romances juvenis água com açúcar, ele aborda diversos temas delicados e muito necessários, como a relação entre homossexualidade, família e religião. Livrão, sim! E eu terminei apaixonado pelo casal, quase stalkeio os dois no Instagram pra propor um poliamor, aí lembrei que eram só personagens. 😦 Que alegria ter Vitor Martins entre nós. Que venham outros finais felizes por aí!

10 stories que eu amo assistir

O Story é um dos principais atrativos do Instagram e prende uma parcela enorme dos usuários pela criatividade, originalidade e relevância dos seus conteúdos, feitos por creators empenhados em trocar experiências, compartilhar seu dia a dia e inspirar pessoas. 10 dos meus preferidos HOJE estão nessa lista, feita de gente que não transforma seus vídeos de 15 segundos em uma sequência desnecessária de publiposts e pratica os quatro verbinhos essenciais de um bom conteúdo digital: ENTRETER, INSPIRAR, EDUCAR e INFORMAR. ❤

Também estou nos stories, quem quiser acompanhar, só clicar aqui.

1 – HÉLDER MOITA
Humor, memes e música

O Hélder é o maior garoto-propaganda do Eurovision que os Supermercados Guanabara já viram. É de Belém, mas mora no RJ e passa o dia inteiro que Deus dá xoxando cantoras teen com memes da webdiva Tulla Luana. É o verdadeiro lixo da internet que eu amo assistir, porque só ele consegue misturar em 15 segundos referências do k-pop com vídeos d’A Fazenda, falas do Clodovil e ainda militar usando cenas do Big Brother Brasil. Sim, os stories dele são pra esquizofrênicos!

2 – GÉSSYCKA GINO
Humor, lifestyle, regionalismo paraense e moda

Modelo paraense, fã número um do Michael Jackson e filha da Gina Lobrista, já começa por aí! Entre uma dancinha e outra com muitas palmas e língua pra fora, a Géssycka faz dos stories seu diário e compartilha todos os detalhes da sua vida, com muito humor, viado, festa, grito e baixaria, tudo que a gente ama nesse mundo. Por entender que só se vive uma vez, ela não economiza na quantidade de stories, tem dia que é preciso pedir folga no trabalho pra acompanhar a rotina dela.

3 – BRUNA FEIA
Shades, gatos, memes e vacilos amorosos

Bruna é a rainha do insulto e não só ama perder o amigo pra não perder a piada como vários deles já quiseram bater nela um dia. Seus stories não são recomendados pra alérgicos por motivos de: só pelo de gato. Mas mesmo morando numa aldeia, ela consegue sustentar sua audiência com memes duvidosos, receitas que só ela experimenta (jurando que estão gostosas) e vacilos amorosos, um dos quadros semanais mais esperados no perfil dela.

4 – RAPHA LIMA
Rio de Janeiro, vida noturna, humor e baixaria

O Rapha é DJ, desbocado e ursão (ui!). Quando viaja, é viciado em achar coincidências entre grandes centros do mundo e o Rio de Janeiro. Debocha de tudo, se apropria de gírias gays e faz rir com seus stories, sempre carregados com aquele bom sotaque carioca. É amigo dos famosos, está sempre muito bem acompanhado, mas não perde a oportunidade de mandar um belo FODASSE pras convenções sociais. É legal assisti-lo!

5 – NAY D’OLIVEIRA
Bordões, maquiagem, humor e lifestyle

Naydo é bacharel em bordões e mestre em seleção de staff. Se você perdeu a temporada passada, já foi, o que te resta é ficar atento ao elenco e às frases mais usadas nos episódios recentes da vida dela. Linda, Linda, Linda e amiga de Belém inteira, não tem um dia comum nos stories da Nayanas, porque absolutamente tudo vira conteúdo. Entre os vídeos e fotos de humor, tem ainda dicas de maquiagem, amigos magia, diários de bordo e tentativas quase frustradas de ser musa fitness.

6 – CARLINHOS MAIA
Humor, vila, sotaque nordestino e histórias de vida

Vai que você esteve congelado nos últimos 2 anos e não saiba quem é Carlinhos Maia… Beleza, eu te explico. O alagoano tem um dos stories mais assistidos no mundo, que vivem de mostrar os personagens reais da sua vila, com muita graça e emoção. Ele é o grande maestro de uma narrativa que mistura histórias de superação, gente de verdade e stories pra gritar de rir. Carlinhos é outro que não economiza na hora de gravar, então esteja preparado pra gastar todo seu 4G assistindo pelo menos metade de um dia na vida dele. Vale a pena!

7 – CAIO BRAZ
Informação, moda, viagens, lifestyle e política

Caio tem um dos stories mais legais da paróquia, porque ele consegue prender a gente pela diversidade de temas interessantes, que vão desde bastidores de TV à saúde pública, passando por debates importantes, informações necessárias, baixarias não tão necessárias assim e ótimas dicas de moda e viagens. É pernambucano, mora no Rio de Janeiro e vive viajando. Pra mim, é um dos grandes retratos do creator atual, que mistura originalidade, relevância, criatividade e vanguardismo em seus conteúdos da melhor forma possível.

STORIES QUE EU AMO ACOMPANHAR QUANDO ESTÃO EM VIAGEM

8 – NAIANA GABY
Diário de bordo, São Paulo e gastronomia

Eu simplesmente amo quando a Naiana viaja. A vontade é de vender tudo dentro de casa e viajar junto com ela. Seus stories ficam especialmente legais quando ela vai pra algum lugar, porque ela dosa muito bem informações úteis e conteúdos que te inspiram. É muito bom de ver. No seu dia a dia, ela ainda mapeia os melhores lugares pra se comer em São Paulo e divide com a gente os bastidores do canal Cansei de Miojo, que ela produz junto com o Rafa.

9 – CAIO TRAVELS
Diário de bordo

O perfil do Caio no Instagram se propõe a isso mesmo: a dividir com seus seguidores todos os detalhes de uma viagem incrível, não importa se pra Amazônia ou pra Dubai. Ele compartilha tudo de uma forma leve, didática, curiosa e muito inspiradora também. Eu amo acompanhar!

10 – PAULA MARTINS
Diário de bordo, humor, cachorros e relacionamento

Tia Paula deveria cobrar ingresso pra assistirem aos stories dela quando viaja, porque são muito bons. O humor que já é marca registrada fica ainda melhor com as caboquices que ela apronta mundo afora. Perrengues e curiosidades que ninguém conta, ela faz questão de mostrar. Que Deus te dê muito publi, mana, pra gente sempre te ouvir gritando CARALHO, EU TÔ NA GRÉCIA!

Creators: o que as marcas esperam deles

Visitando a sede do Facebook

E a carinha de felicidade?

Aprendizados, networking, co-criação e muita cerveja gelada em dois dias de imersão. Foi isso que a Itaipava ofereceu pra 13 creators de diversas capitais brasileiras nesta semana, em São Paulo. E entre os escolhidos, euzinho aqui, muito Miss Pará (OBRIGADA, MEU DEUS!). A marca tem buscado se afinar cada vez mais com as regionalidades e sutilezas do Brasil, descobrindo os mais diferentes verões de norte a sul e nós fomos lá dar a nossa contribuição.

O primeiro dia foi na base do Youpix. A Thaís Mara falou sobre as melhores formas de nós nos relacionarmos com grandes e pequenas marcas; depois cada um teve 1h30 para desenvolver um projeto que aliasse cerveja, verão e a sua região; e apenas quatro minutos para defendê-lo para a Itaipava.

Partiu Pará, Itaipava?!

No segundo dia, visitamos a sede do Facebook , pra conversarmos sobre os números e expertises das suas redes sociais no Brasil; e aprendermos diversas técnicas no Instagram Stories School. Após o almoço, fomos ao coletivo de fotógrafos I Hate Flash, pra ouvirmos especialistas falarem sobre Influência Digital; técnicas para produzirmos stories; e até sobre a importância da luz.

Foram dias incríveis de trocas, discussões, conscientização do nosso próprio papel dentro desse mercado e, sobretudo, de entendimento do quão necessário é seguir gerando conteúdos que dizem respeito às nossas verdades e a tudo que nos rodeia. Ninguém fala melhor do nosso lugar do que a gente mesmo. E é justamente esse conteúdo autêntico que as marcas têm procurado, não aqueles que se assemelham a tudo que já foi visto por aí. Obrigado demais a Itaipava por confiar no meu trabalho e me fazer um convitezão desse, bicho! ❤

Óbvio que eu jamais guardaria os insights dessa imersão somente pra mim. Abaixo, compartilho alguns deles com vocês:

1 – Seja creator, mas seja real! As pessoas acompanham Influenciadores Digitais como quem acompanha uma novela e querem trama, drama, episódios cativantes. O mercado e os seguidores têm exigido narrativas humanas e histórias verdadeiras, capazes de criar laços e afinidades. E nesse contexto, qual tem sido o seu roteiro? Você se vulnerabiliza, é transparente? Seus conteúdos contam histórias, têm altos e baixos, perrengues e finais felizes? Eles mostram quem realmente você é ou você ainda se esconde atrás de cortes, filtros e ângulos perfeitos?

2 – Entenda o que você representa! Você é autoridade em que assunto? Quando falam de você, as pessoas lembram de quê? Em que nichos, grupos, comunidades você está inserido? Influenciadores influenciam porque são porta-vozes de tudo aquilo que as pessoas adorariam dizer. E o que você tem dito por aí? Se uma marca te procura, é exatamente por tudo aquilo que você defende, acredita e representa na Internet. Tenha essa consciência e seja fiel a esse seu mundo;

3 – Valorize-se! Todo creator é, necessariamente, um agente transformador desse universo digital. E em um mercado tão novo, fluido e dinâmico como esse, é ele quem também determina suas diretrizes, regras, preços e valores. Portanto, se você não é o primeiro a acreditar no valor (falo de grana mesmo) do seu trabalho, não espere isso de ninguém. Saiba quanto custa seus processos, entenda sua posição no mercado local e global e nunca se desvalorize;

4 – Entenda de uma vez por todas o que é conteúdo! Quando descobrimos que conteúdo relevante nas redes sociais é muito mais sobre o outro do que sobre a gente, finalmente caminhamos pra um trabalho mais consistente e preciso. Falo disso e não é de hoje: só leve adiante um post, vídeo ou texto se ele for útil a alguém. Se alimentar apenas o seu ego, não espere nada dele. 4 verbinhos podem te ajudar a entender se você está no caminho certo: conteúdo bom tem que ENTRETER (fazer sorrir ou emocionar), INSPIRAR, INFORMAR e/ou EDUCAR;

5 – Não tenha medo de conversar com as marcas. Se elas te procuraram, é porque acreditam no teu trabalho. Então não se acanhe. Converse, proponha, corrija, negue quando necessário, mostre como você trabalha, não aceite qualquer coisa, aponte caminhos e construa conjuntamente. Quando marcas decidem por você como deve ser o seu conteúdo, as chances de ele dar certo são quase nulas;

6 – Google na marca! Sei que o deslumbre é real quando grandes marcas procuram creators para possíveis parcerias, mas antes de topar qualquer trabalho, faça o mesmo que elas: stalkeie! Vá bisbilhotar o histórico, os ideais, a comunicação, os bastidores da empresa, pra saber se vocês estão alinhados. Não feche nada sem antes saber se vocês acreditam nas mesmas coisas e estão afinados no mesmo discurso. Fazendo isso, você minimiza ruídos e elimina consideravelmente as possibilidades de erros durante a caminhada;

7 – Não deixe nada nas entrelinhas. Você e a marca deram MATCH? Ui, que delícia. Mas cuidado! Não se deixe levar pela empolgação e preste muita atenção em todos os itens do acordo. Mesmo que algo pareça subentendido, fale, deixe escrito, pra que lá na frente você não seja cobrado por algo que não prometeu. Proponha, leia e assine contratos, registre conversas por e-mails e se respalde;

8 – Não se frustre! Hum… O flerte foi demorado, mas o match não rolou. Fica triste, não, boba! Levante essa cabeça e parta pra outra. Situações assim vão acontecer sempre, o que não quer dizer que o seu trabalho é melhor ou pior do que o do outro. Siga produzindo seus conteúdos e esteja sempre aberto, que uma hora rola!
E outra coisa: seja paciente! Quanto maior a marca, mais demorados são os processos e negociações. Bons trabalhos exigem planejamento e, às vezes, a construção de uma parceria pode levar meses mesmo, não se assuste!

9 – Não tenha preguiça de explicar o seu trabalho. É maravilhoso quando a gente tem a consciência do valor do nosso trabalho, mas sempre que for necessário repetir a importância dele pra alguém, não se recuse, ninguém é obrigado a saber. Respire fundo e diga mais uma vez o que você faz, como faz e por que o que você faz é tão valioso assim;

10 – Acredite nos STORIES! O Facebook enquanto companhia tem apostado demais no Instagram e os STORIES já em 2017 quase equiparou o seu alcance ao do FEED, portanto, é preciso dar atenção especial aos conteúdos de até 15 segundos. Na palestra que assistimos, o atendimento do Facebook reforçou as principais forças dos stories: tempo real; sem filtro; e divertido. Você tem explorado essas forças? Enquanto as postagens no feed são aquelas do ‘momento especial, a coisa mais importante do seu dia’, nos stories as pessoas querem ver os bastidores e acompanhar sua vida como num grande pay-per-view. Dê isso a elas (claro, sem trair os seus limites e a sua privacidade);
E fique esperto! As pessoas têm associado o Instagram a quatro importantes atributos: ENTUSIASMO, CRIATIVIDADE, VISUALMENTE BONITO e CONTEÚDO AUTÊNTICO. Seja amigo desses atributos!

11 – ALCANCE, ENGAJAMENTO e QUALIDADE. Esses três indicadores andam juntos e super importam na hora de você mensurar o seu trabalho para vendê-lo para as marcas. Enquanto que o alcance corresponde ao número total de pessoas (contas únicas) que viram qualquer uma das suas publicações, o engajamento diz respeito ao número de vezes em que essas contas interagiram com seus conteúdos, por meio de likes, comentários, compartilhamentos, retuítes, entre outros. Já a qualidade é sobre o engajamento que interessa de fato pra empresa que te contrata, porque muitas vezes o seu publipost pode ter um número enorme de comentários, mas nenhum deles estar direcionado à marca e isso precisa ser corrigido. Você estuda esses indicadores? Como vai a sua mensuração? Você alimenta, minimamente, uma planilha com esses números pra fins comparativos? Que tal começar hoje?

12 – Tenha paciência! Não deixe o seu desespero por grana, publiposts e fama ser maior que o interesse em se relacionar com as pessoas que te seguem. Esse é o bem mais valioso que deve ser preservado, porque é o que vai te proporcionar engajamento e visibilidade reais. Mantenha-se fiel ao seu conteúdo e, como diria o filósofo, deixa acontecer naturalmente. ❤

 

Valeu, Itaipava!

Mapeamento dos Influenciadores Digitais de Belém

Influenciadores Digitais dividem opiniões, eu sei. Mas impossível passar batido. Uns seguem convictos da total irrelevância desse mercado, enquanto outros lucram bastante com ele. Eu mesmo implico com o termo, ao notar pessoas buscando a fama sem nenhuma preocupação em produzir conteúdos criativos, úteis e pertinentes nas redes sociais. Por outro lado, gente muito séria tem contribuído para uma Internet melhor, por meio dos seus textos, fotos, vídeos, discursos e posicionamentos. Esses, eu prefiro chamar de bons ‘Produtores de Conteúdos Digitais’. E Belém está cheia deles. Tão cheia que, até eu que vivo imerso nesse trabalho de comunicação digital, não consigo acompanhar todo mundo, embora saiba que muitos desses que eu desconheço estejam fazendo trabalhos muito bons por aí.

No infográfico, os principais assuntos abordados e as redes sociais mais utilizadas pelos produtores de conteúdos de Belém.

E para facilitar a vida de agências, produtoras, empresas e marcas que enxergam nesse universo boas oportunidades de alavancarem os seus negócios, eu resolvi deixar a minha contribuição, mapeando alguns dos principais produtores de conteúdos da capital paraense, a fim de reunir num só lugar suas informações, números e contatos. Mas importante dizer:

1 – Esse é o primeiro esforço de um mapeamento que continuarei construindo e atualizando constantemente;
2 – A lista não acredita em números isolados como mensuração de sucesso. Há pessoas nela com baixo número de seguidores, mas que apresentam consistência no conteúdo que produzem e, por isso, podem interessar também marcas e nichos específicos;
3 – TODAS as informações foram repassadas pelos próprios influenciadores e o nosso comprometimento é atualizá-las a cada 30 dias;
4 – Muita gente ficou de fora dessa primeira lista. Umas foram procuradas, mas não responderam ou não quiseram repassaram seus dados; outras que não foram procuradas devem entrar em listas futuras;
5 – Não agencio nenhum desses produtores de conteúdos, qualquer interesse em orçamentos, jobs e parcerias deve ser tratado diretamente com eles, por meio dos contatos fornecidos em suas descrições;
6 – Essa lista não pretende fazer juízo de valor, no sentido de dizer que os 30 escolhidos são mais influentes ou importantes do que os que ficaram de fora, DE MODO ALGUM. O interesse mesmo é agregar e ajudar o máximo de pessoas envolvidas nesse mercado;
7 – Seu influenciador digital preferido ficou de fora dessa vez? Comente aí o nome dele pra que eu possa entrar em contato. ❤
8 – Obviamente, o mapeamento está em ordem alfabética;

1 – A Casa Como Ela É – (por Trisha Guimarães)

 

  • Bio
    Trisha Guimarães é Relações Públicas e Jornalista, formada pela Universidade da Amazônia – Unama. Antes de ser comunicóloga, cursou Arquitetura na mesma Universidade. Na televisão, foi apresentadora de programas de esporte (Globo Esporte/TV Liberal e Meio de Campo/TV Cultura) e repórter especial por 10 anos. Também é assessora de imprensa da CASACOR PARÁ desde 2015. No segundo semestre de 2017, criou o perfil @acasacomoelae no Instagram, onde aborda temas como decoração, diy, mesa posta e caseirices para compartilhar e dividir experiências sobre o morar. No perfil há desde receitas até ideias para receber amigos em casa de forma carinhosa. Também visita lojas mostrando os diferenciais de cada uma delas, assim como os produtos em promoção. Em um ano, algumas parcerias surgiram como Tramontina, Di Casa, Mazagan e Empório Bovino. Em 2018, criou o site com o mesmo nome para atender às demandas do perfil e criar mais conteúdos como vídeos e textos mais explicativos. A ideia é que em breve a lojinha da A Casa Como Ela É esteja on-line para que todos tenham acesso a produtos feitos no Estado, respeitando a mão de obra local, com preços justos.
  • Principais Redes Sociais
    Instagram
  • Temas que aborda
    Caseirices, receitas, arquitetura, decoração, diy, mesa posta e tudo o que envolve o dia a dia de um lar.
  • Número de Seguidores
    Instagram: +7k
  • Público
    11% homens e 89 % mulheres; 45% deles na faixa de 25 a 34 anos; 53% do público mora em Belém.
  • Contato
    acasacomoelae@gmail.com
    trishacoimbra@gmail.com

2 – Adriano Alves (@adreanu)

 

  • Bio
    Graduando em Publicidade e Propaganda pela Estácio FAP. Trabalha na área de Marketing e Criação Publicitária. Nas redes sociais, aborda temáticas como comportamento, esportes e cultura web em geral, todos com uma pegada bem humorística. Um público amplo nacionalmente, muito bem dividido entre todas as regiões do Brasil. Facilidade em produzir virais.
  • Principal rede social
    Twitter
  • Temas que aborda
    Comportamento, esportes, cultura web e humor
  • Número de seguidores
    Twitter: +216k
  • Público
    49% homens, 51% mulheres; entre 20 e 45 anos;
  • Contato
    adreanu@hotmail.com

 

3 – Amanda Campelo (@mckaoma)

  • Bio
    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal do Pará e estudante de Pós-Graduação do curso de “Cultura de Moda e Mercado” na Faculdade Estácio FAP. Atualmente trabalha como apresentadora e produtora do Programa Circuito, da TV Cultura do Pará. Em seu perfil do Instagram fala sobre Moda, Consumo Consciente, Cultura e Comunicação. E com a abordagem dessas temáticas, já trabalhou com empresas como Always, Natura, MAC Cosmetics Brasil, Parque Shopping Belém, Magazan, entre outras.
  • Principal rede social
    Instagram
  • Temas que aborda
    Moda, consumo, empreendedorismo, arte, cultura, comunicação e viagens.
  • Número de seguidores
    Instagram: +7k
  • Público
    73% mulheres e 27% homens; entre 25 e 34 anos; 52% de Belém.
  • Recordes de engajamento
    Post de fantasia do Baile da Glande: +9k impressões.
  • Contato
    campelo.jor@gmail.com

 

4 – Belém do Pará (por Antonio Mokarzel)

  • Bio
    Antonio Mokarzel é o idealizador do perfil @belemdopara. Ele é Bacharel em Economia, graduado pela Unama, especialista em Análise de Sistemas, graduado pela PUC-RJ e vencedor do prêmio iBest Regional em 2002. O perfil existe desde 2000 e hoje tem seguidores por diversos países como Portugal, Estados Unidos, França, Argentina, Alemanha e Japão.
  • Principais redes sociais
    Facebook, Twitter e Instagram.
  • Temas que aborda
    Regionalismo, entretenimento, cultura, turismo no Pará, gastronomia e fotografia.
  • Número de seguidores
    Twitter:  +165k
    Facebook: +181k
    Instagram: +12k
  • Público
    60% mulheres e 40% homens; entre 25 a 34 anos.
  • Contato
    contato@belemdopara.com.br
    https://belemdopara.com.br

5 – Bruna Feia

  • Bio
    Moro quase numa aldeia no interior do Pará e fiz da internet meu país. Produzo conteúdo sobre a vida adulta, séries, viagens, filmes, tv, gatos, reclamo da vida mas faço dela um meme pois aprendi a rir da minha desgraça. Não ponho ninguém em vacilo e tento servir bem para servir sempre.
  • Principais redes sociais
    Twitter e Instagram
  • Temas que aborda
    Humor, cotidiano da vida adulta, gatos, viagens, séries de tv, filmes e “conselhos amorosos”.
  • Número de seguidores
    Twitter: +33k
    Instagram: +7k
    Facebook: +4k
  • Público
    67% mulheres e 33% homens; entre 25 e 34 anos; 50% de Belém.
  • Recordes de engajamento
    Instagram: recorde de 167.800 impressões
    Twitter: 3 milhões de visualizações
    Média de 4,400 visualizações nos stories
  • Contato
    Brunaabreu84@gmail.com

6 – Carol Amorim

  • Bio
    Pós-graduada em Produção Audiovisual pela Estácio-Iesam e graduada em Comunicação Social/Jornalismo pela Unama – Universidade da Amazônia. Está atualmente como repórter da Secom – Secretaria de Comunicação, produzindo e apresentando os materiais especiais em vídeo para o Núcleo Digital, além de também produzir conteúdos para as redes sociais. Com a experiência adquirida na Secom, começou a abordar em suas redes pessoais temas como o feminismo e aceitação pessoal. Em suas reflexões utiliza alguns recursos de humor e de truques de edição de vídeo para deixar os stories mais dinâmicos.
  • Principal rede social
    Instagram
  • Temas que aborda
    Feminismo, empoderamento, aceitação, cotidiano, humor, viagens.
  • Número de seguidores
    Instagram: +3k
  • Público
    54% Mulheres e 46% Homens; entre 25 e 34 anos; 63% de Belém.
  • Recorde de engajamento
    Média de 700 views nos stories
  • Contato
    carolamorimcorrea@gmail.com

7 – Carol Paraense

  • Bio
    Médica Veterinária, graduada na Universidade Federal Rural da Amazônia, especialista em Higiene e Inspeção dos Produtos de Origem Animal. Atualmente trabalha como Controle de Qualidade em um frigorífico de Aves. Tem por hobby a corrida de rua e já chegou a completar uma maratona. Em suas redes pessoais, aborda temas relacionados a dicas aos consumidores quanto aos produtos de origem animal, viagens, corridas e sua avó. Aliando humor com conteúdos informativos, formou vínculo com os seguidores, principalmente nos Stories do Instagram, gerando um quadro chamado “Dicas da Frangueira”. Em 2017, ganhou na categoria “Melhor Snapchat” no evento Farinha Vídeo Awards, realizado pelo ComFarinha.
  • Principais redes sociais
    Instagram, Twitter e Facebook.
  • Temas que aborda
    Humor, dicas e curiosidades aos consumidores de produtos de origem animal, corrida, cotidiano, viagens, filmes, séries, lugares.
  • Número de seguidores
    Twitter: +2k
    Instagram: +1k
  • Público
    56% mulheres e 44% homens; entre 25 e 34 anos, 50% de Belém.
  • Recordes de engajamento
    Vídeo Hormônio no Frango: +2,9 mil visualizações
    Vídeo Minerais nos Alimentos de Origem Animal: +1,1 mil visualizações
  • Contato
    carolparaense16@gmail.com

8 – Forlan Reis

  • Bio
    Ele é acadêmico de Publicidade e Propaganda, vem da periferia, é ex-gordo e conquistou espaço na web por meio da autenticidade e veracidade. Ficou conhecido pelo seu lado humorístico e criou diversos bordões. ‘A pedida’ é o mais conhecido deles. Forlan atualmente faz vídeos para o Instagram e inspira pessoas que têm problemas em aceitar seu próprio corpo.
  • Principal rede social
    Instagram
  • Temas que aborda
    Humor, corpo, moda e periferia.
  • Número de seguidores
    Instagram: +22k
  • Público
    70% mulheres e 30% homens; entre 18 e 24 anos; a maioria de Belém.
  • Recordes de engajamento
    Instagram: recorde de 1.538.488 impressões
    Média de 7k de views nos stories
  • Contato
    Pelafepossoclamar@hotmail.com

9 – Sooda Blog (por Francisco Neto)

  • Bio
    Pós-graduado em Gestão de Lazer e Turismo pelo NAEA/UFPA, graduado em Turismo e graduando em Jornalismo. Hoje é Técnico do Museu do Instituto Evandro Chagas, que entre outras funções, desenvolve ações de comunicação no setor. Há três anos criou com o Everton Assis, o Sooda Blog, um espaço de propagação da literatura na internet, que hoje possui quase 1 milhão de visualizações, e parceria com editoras e grupos editorais como Companhia das Letras, Rocco, Darkside Books, Harper Collins Brasil, e mais 10 editoras. Hoje o blog é o primeiro em número de visualizações, no estado do Pará. Além disso, com o blog foi possível desenvolver mais de 40 eventos literários na cidade de Belém com quase 3 mil visitantes, onde foram possíveis distribuir mais de 600 livros para os participantes que em muitos casos não podem comprá-los. Recentemente, o blog foi convidado a organizar em Belém o lançamento do novo livro de Tolkien que vai ser realizado simultaneamente em várias cidades do Brasil e do Mundo.
  • Principais Redes Sociais
    Facebook, Instagram, Blog
  • Temas que aborda
    Indicações de livros, especialmente Young Adult (YA), mercado literário, séries e filmes (adaptado de livros), quadrinhos, entre outros itens da Cultura Pop.
  • Número de seguidores
    Facebook: +10k
    Instagram: +3k
  • Público
    73% Mulheres e 27% Homens; 39% entre 18 e 24 anos e 38% entre 25 a 34 anos; 19% do público de Belém.
  • Recordes de Engajamento
    Blog: Quiz sobre a linha Darklove da Editora Darkside Books > +20k views
    Facebook: Postagem sobre a Feira do Livro 2015 > +120k views
    Postagem sobre promoção de livros da Big Ben > +120k views
    Post com dicas sobre a Feira do Livro 2018 > +2k Impressões
  • Contato
    soodaredacao@gmail.com/ francisco.chagasneto@hotmail.com

 

10 – Gaby Santiago

  • Bio
    Publicidade e Marketing por formação, Jornalismo por paixão. E com as experiências de quase 9 anos com redes sociais viu a necessidade de se especializar em alguns segmentos da Moda, como: Jornalismo em Moda, VM e Consultoria de Imagem, curso realizado na FAAP em São Paulo.
  • Principais redes
    Instagram e Facebook.
  • Temas que aborda
    Moda, beleza, maternidade, saúde.
  • Número de seguidores
    Instagram: +40k
    Facebook: +4K
  • Público
    29% homens  e 71% mulheres; entre 25 e 34 anos.
  • Contato
    Gabrielle.santiagoo@gmail.com

11 – Géssycka Gino

  • Bio
    Ela tem 18 anos, é modelo e estuda Comunicação Social. Trabalha com internet há três anos, onde mostra seu cotidiano sempre voltado para o humor, além de dar dicas sobre moda e cabelo.
  • Principal rede social
    Instagram
  • Temas que aborda
    Humor, regionalismo, cabelo e moda.
  • Número de seguidores
    Instagram: +14k
  • Público
    73% mulheres e 27% homens, entre 18 e 24 anos.
  • Recordes de engajamento
    Em média, 500k de impressões no Instagram;
    Vídeo da Copa 2018: +240k views;
    Vídeo ‘Primeiro de Junho’: +95k views;
  • Contato
    gessyckagino@gmail.com

12 – Iryane Carollyne

  • Bio
    25 anos de Belém, trabalha produzindo conteúdo para internet desde de 2012.
  • Principais redes sociais
    Instagram, Facebook e Youtube.
  • Temas que aborda
    Moda, maquiagem, viagens e tudo relacionado ao mundo feminino.
  • Número de seguidores
    Instagram: +57k
    Youtube: +14k
    Facebook: +7k
  • Público
    82% mulheres e 18% homens; entre 18 e 34 anos; + 50% de Belém.
  • Recordes de engajamento
    Vídeo Partiu Pará: +100k views no Facebook
    Pico de Impressões durante viagem à Grécia: +8 milhões de impressões
    Em média, 500k de impressões no Instagram
    Recorde de 30k views e média de 5k views nos stories
    Alcance por foto em viagem: +250k
    Em média, 30k de pessoas alcançadas no feed do Instagram
  • Contato
    Iryassessoria@gmail.com

13 – José Neto

  • Bio
    Engenheiro de Produção pelo Centro Universitário do Estado do Pará, mas amante das artes, design e comunicação. Ama compartilhar nas redes sociais tudo o que vive e experimenta no cotidiano e nas viagens, com conteúdo muito mais focado na experiência do que em si mesmo. No Instagram compartilha fotos e vídeos com temas relacionados à Amazônia, viagens, fotografia, cultura, costumes regionais, natureza e gastronomia. Já no Facebook e Youtube, costumava compartilhar vídeos sobre regionalismo e viagens. Além do tempo dedicado as redes sociais, está como Analista de Relacionamento de Comunidades e Abastecimento da Sociobiodiversidade na Natura. Alguns dos seus vídeos de maior audiência têm mais de 600 mil visualizações. Este público proporcionou ao social media a oportunidade de trabalhar com clientes como a Manioca, Festival Lambateria, Festival Amazônia Mapping, CESUPA, Natura e Instamission.
  • Principal rede social
    Instagram
  • Redes sociais secundárias
    Facebook, Youtube
  • Temas que aborda
    Amazônia, viagens, fotografia, cultura, natureza e gastronomia.
  • Número de seguidores
    Facebook: +9k
    Instagram: +3k
  • Público
    57% mulheres e 43% homens; 44% entre 25 e 34 anos; 31% de Belém, 11% São Paulo e 6% Rio de Janeiro.
  • Recordes de engajamento
    Vídeo Égua Paraense: +630k views
    Vídeo 2 dias em Salvaterra: +42k views
  • Contato
    jeoneto@icloud.com

14 – Ísis Vieira

  • Bio
    Graduada em Administração pela faculdade Estácio do Pará. Trabalhou como analista de mídias sociais e ibope na TV Liberal, afiliada da Rede Globo no Pará. Em suas redes sociais aborda temas como: humor, empreendedorismo, entretenimento, turismo e gastronomia. Graças a sua interação com seus seguidores fez/faz trabalhos publicitários para empresas e órgãos, como: Rede Celpa (centrais elétricas do Pará) e Governo do Pará. Também fez parte da produção e apresentação do Programa Sons do Pará, em 2016 e 2017, ano em que também ganhou o prêmio aluna “alumini” Estácio do Pará, que destaca ex-alunos que têm histórias de sucesso em suas vidas profissionais.
  • Principais redes sociais
    Instagram, Facebook e YouTube
  • Temas que aborda
    Humor, regionalismo, comunicação digital, viagens, empreendedorismo e gastronomia.
  • Número de seguidores
    Facebook: +26k
    Instagram: +23k
  • Público
    62% mulheres e 38% homens; entre 18 e 24 anos; 53% de Belém.
  • Recordes de engajamento
    Vídeo do estudante colando: +21 milhões de views no Facebook;
    Vídeo Viagem para Argentina:  +1 milhão de impressões no Instagram;
    Em média, 4,5k views nos stories;
  • Contato
    Isisvieiras2@gmail.com

 

15 – Kevin Albuquerque

  • Bio
    Eterno Graduando Comunicação Social/Publicidade e Propaganda pela Estácio do Pará. Está trabalhando na Cultura Rede de Comunicação e é responsável pela criação e execução de campanhas da emissora. Atua como produtor e diretor do Canal Com Farinha, além de produzir cantores como MC WR e Dona Sandra, agencia digital influencers como João The Rocha, Renato Reis, Paulo Real e Gessycka Gino. Nas suas redes pessoais, temas relacionados ao comportamento e cultura web, misturados ao humor, atraem para seus perfis seguidores do Estado. Alguns dos seus vídeos de maior audiência têm mais de 2,2 Mi visualizações. Já trabalhou com clientes como o Governo do Pará e em campanhas do Banpará, Hemopa e Propaz Enem. Na TV aberta, apresentou, em 2016, o Sons do Pará (TV Liberal), Propaz Enem Digital (TV Cultura), em 2017/18, o quadro no Programa Meio de Campo (TV Cultura) e protagonizou, ao lado de Leona Vingativa, a série “Konsiderados” da TV Cultura.
  • Principais redes sociais
    Instagram, Facebook e YouTube.
  • Temas que aborda
    Humor regional.
  • Número de seguidores
    YouTube: +25k
    Facebook: +13k e +51 página
    Instagram: +6k
  • Público
    57% mulheres e 43% homens; entre 17 e 27 anos; 93% Belém.
  • Recordes de engajamento
    Vídeo Encantada do Brega: +900k views
    Vídeo Pentáculo: +95k views
  • Contato
    kevinyan93@yahoo.com.br

16 – Layse Santos

  • Bio
    Layse Santos é jornalista, publicitária, empresária e sócia diretora da agência EKO. É criadora do Blog Espelho Meu, editora e criadora do CONEXÃO AMZ, uma plataforma de jornalismo digital, que inclui site, Facebook e instagram. Com longa experiência em TV, como repórter e apresentadora da afiliada da TV Globo em Belém, Layse produz conteúdos relacionados a jornalismo e também à Comunicação, especialmente digital. Carreira profissional é outro foco de conteúdo de Layse e uma parte das suas redes sociais são destinadas também a viagens.
  • Principais redes sociais
    Facebook e Instagram
  • Temas que aborda
    Jornalismo, Comunicação Digital, carreira profissional e viagens.
  • Número de seguidores
    Instagram: +19k
    Facebook: +15k
  • Contato
    layse@ekonet.com.br

17 – Layse Sinatra (paveepate)

  • Bio
    Layse Sinatra é publicitária, fã de cinema, geminiana e reconhecida na web pelo seu estilo super fashionista. Mora com os pais e o seu objetivo nas redes sociais é deixar o dia a dia mais leve, oferecendo aos seguidores doses diárias de inspiração.
  • Principal rede social
    Instagram
  • Temas que aborda
    Moda, viagens, fotografia, borboletas, cinema, música, gastronomia, horóscopo, shopping, cabelo, shoes e perfumes.
  • Número de seguidores
    Instagram: +39k
  • Público
    78% mulheres e 22% homens, entre 25 e 34 anos, a maioria de Belém.
  • Recorde de engajamento
    Recorde de 922.896 impressões no Instagram.
  • Contato
    laysesinatra@live.com

18 – Luly Mendonça

  • Bio
    Formada em Publicidade, redatora, 35 anos, trabalhei em agências por mais de 10 anos. Há 11 sou editora da Editora Verde, responsável por publicações como o Guia Grande Belém do Grão Pará e o Livro do Círio. Fui blogueira por 8 anos, de 2006 a 2010, escrevi no «Blog da Luly» e na coluna de crônicas do Portal ORM. Em 2011, criei o blog «O Diário da Plebeia», que mantive até 2016. Ambos premiados. Há 3 anos ando à paisana pelo instagram. Já trabalhei em campanhas, criei conteúdos para marcas paraenses e nacionais, como O Boticário, Pátio Belém, Unama, Rede Celpa, entre outros; editei revistas, fui tema de TCCs sobre influência digital, além de participar de bate-papos sobre empoderamento e ter ministrado talk show e palestras em universidades sobre conteúdo digital.
  • Principais redes sociais
    Instagram e Facebook
  • Temas que aborda
    Cinema, moda, livros, feminismo e até vídeos com covers de música no ukulelê, além de muitos micos nos Stories.
  • Número de seguidores
    Instagram: +18k
    Facebook: +5k
  • Público
    76% mulheres e 24% homens; entre 25 e 34 anos.
  • Recordes de engajamento
    Vídeo fitnejo: +80k visualizações;
    Média de 4k visitas por semana no feed;
    Média 327k impressões no instagram;
    Média de 2.800 impressoes nos Stories;
  • Contato
    lulymendonca@gmail.com

19 – Manuella Barbosa

  • Bio
    É cabeleireira, maquiadora, visagista, consultora de imagem (análise cromática) e empresária há quase 20 anos, aprendeu que para se manter atual é preciso entender as transformações no comportamento humano e as respectivas mudanças no hábito de consumo que esse movimento traz. Outro grande aprendizado que toda essa experiência lhe rendeu, é saber que o assunto beleza está fortemente associado a temas sobre cuidado e bem estar. Descobriu nesse processo, seu grande propósito de vida: cuidar das pessoas! Uma das formas que encontrou de aproximação com seus clientes foram as redes sociais, por onde influencia seus seguidores positivamente, com verdade, honestidade, gerando uma confiança forte com eles, uma conexão real. Este público proporcionou a oportunidade de trabalhar com clientes como a CLARO, L`OREAL, SCHUTZ, INTIMISSIMI, MAC, TRACK & FIELD, ÉRIKA MAFRA, entre outros.
  • Principal rede social
    Instagram
  • Temas que aborda
    Conteúdos voltados à beleza, dicas, cuidados, bem estar e moda. Mais tudo que ama: filho, viagens, comida, diversão, bons drinks e muitas risadas… um autêntico dia a dia de uma mulher multifacetada.
  • Número de seguidores
    Instagram: +26k
  • Público
    70% mulheres e 30% homens, entre 25 e 44 anos, 55% Belém.
  • Recorde de engajamento
    +35k pessoas alcançadas no feed do Instagram;
    Média de 3.400 impressões nos stories;
  • Contato
    Whatsapp: (91) 982860068
    manuella_barbosa@yahoo.com.br

20 – Marcos Médici

  • Bio
    Especialista em Criação Publicitária pela ESPM RS, Escola Superior de Propaganda e Marketing. Criador da Koentro, uma empresa de comunicação focada em gastronomia, atua em contas de restaurantes em pontos turísticos, pequenas indústrias e restaurantes como um todo. A comida, culinária, gastronomia como conteúdo sob a tag #sovimprakomer. Administra diversos perfis no Instagram, além do seu pessoal, como Restaurantes Belém, Menos de 20 e agora lançando o projeto Todo Dia um Burger. Além da network digital reúne pessoas em seu cowork também focado em gastronomia para network tête-à-tête. A Kasa Koentro, localizada no bairro do Marco realiza atividades culturais, reuniões do movimento slow food e eventos próprios.
  • Principal rede social
    Instagram
  • Temas que aborda
    Gastronomia, Negócios, comunicação e história.
  • Número de seguidores
    Ig @restaurantesbelem: +37K
    Ig @mediciland: +7K
    Ig @menosde20: +3k
  • Público
    64% mulheres e 36% homens, 25-34, 70% Belém, 82% Região Metropolitana.
  • Contato
    medici@koentro.com.br

21 – Mari Tupiassu

  • Bio
    Jornalista formada pela Estácio. Começou a carreira em 2007 na DC3, na época, uma das maiores agências de publicidade do Norte. Foi responsável pelo editorial de todas as edições da Revista Índia, além de criadora de redação de conteúdo institucional para prefeituras. Foi coordenadora de comunicação da Interpreta, empresa de pesquisa e consultoria de negócios. Em 2009 começou a carreira em frente às câmeras, participando de um projeto experimental chamado INTVWeb. Entrou na afiliada Rede Globo em 2011, como estagiária, onde logo sem seguida foi contratada, passando a produzir jornais como Bom Dia Pará e JL1. Começou sua etapa como apresentadora de TV em 2013, na TV Cultura do Pará. Apresentou programas como o Sem Censura, Arquivo Cultura e longas transmissões ao vivo que fazem parte do calendário estadual: Çairé, Festival Internacional de Música e Festival de Ópera. Também fez parte do Núcleo de Conteúdo Especial do Jornalismo da TV, emplacando matérias em premiações como o Prêmio Fiepa de Jornalismo. Já interessada no mercado de audiovisual, passou uma temporada no eixo rio-são-paulo participando de grandes eventos deste circuito, como Télas Fórum e Rio Content Market. Saiu da TV Cultura em 2017, onde começou uma nova etapa como empreendedora, lançando sua própria marca de influência: as Ousadas. Hoje é head e personagem do projeto que fala sobre empoderamento feminino com bom humor. Recentemente startou seu novo projeto crossmídia, chamado de empreendedora de si: no facebook, no instagram e no Portal Roma News, inspira mulheres a empreenderem a si mesmas, com conteúdo em texto e vídeo.
  • Principais redes sociais
    Youtube, Facebook, Instagram
  • Temas que aborda
    Mari: Feminismo e empreendedorismo
    Mari Ousada:  Relacionamento/Empoderamento feminino
  • Número de seguidores
    Mari
    Facebook: +3k
    Instagram: +5k
    Mari Ousada
    Facebook: +30k
    Instagram: +10k
  • Público
    Mari
    55% mulheres e 45% homens; entre 25 e 34 anos; 52% de Belém.
    Mari Ousada
    85%mulheres e 15% Homens, entre 25 e 34 anos; em sua maioria, de Belém, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte;
  • Recordes de engajamento
    Descubra se sua melhor amiga é sua alma gêmea: + 200k views
  • Contato
    maritupiassu@gmail.com

22 – Marina Duarte (@cha_tododia)

  • Bio
    Estudante de Nutrição e apaixonada por atividades físicas e um estilo de vida saudável. Com muito humor e carisma, compartilha a rotina através do Instagram, influenciando seu público da melhor maneira possível, mostrando sempre a rotina saudável, estilo de vida, atividades físicas, receitas, família, amigos e festas, sem deixar de lado o humor e o equilíbrio e atraindo diferentes públicos de diversas localidades do Brasil. Com o seu trabalho e engajamento crescente, algumas empresas se tornaram clientes, entre elas estão Mundo Verde, Cerpa, Depyl Action, Organic Box, Academia Greco Forma, Flamboyant, Diwali, GNE Belém, Link Produtora, Óticas Carol, Supra Soy. A convite do Shopping Boulevard Belém, Marina fez também sua primeira palestra como estudante de nutrição com o tema “emagrecimento”.
  • Redes sociais
    
Instagram e Facebook.
  • Temas que aborda
    Vida saudável, receitas fit, atividades físicas, dicas de lojas e produtos, viagens, festas, humor e dia a dia.
  • Número de seguidores
    Instagram: +19k
    Facebook: +2k
  • Público
    69% mulheres e 31% homens; entre 25 e 34 anos; 70% de Belém.
  • Recordes de engajamento
    – Venda de 40 ingressos com código promocional para uma festa em apenas um dia, em site online. Cada ingresso custava 55,00;
    – Recorde de impressão em foto no feed: +18k
    – Recorde de impressão de vídeo sobre treino de musculação no feed: +5k
    – Em média visualizações nos stories: +2k
  • Contato
    marinadua@hotmail.com
    (91) 99216-7784

23 – Mel Chaves

  • Bio
    Estudante do oitavo ano do colégio Equipe Cristal, atua como blogueira e cantora; destaca-se por ser uma das primeiras influenciadoras digitalis na categoria Kids/Teen em Belém. Ganhou forte repercussão por conta de sua participação no programa da Rede Globo – The Voice Kids Brasil 2018. Destacou-se por seu estilo/criatividade/comunicação, ficando conhecida nacionalmente e pela produção do programa como pelos participantes e familiares como a “Blogueirinha do TVK”. Durante a participação no programa, teve oportunidade de aparecer em rede nacional ao lado de artistas e cantores como Cláudia Leitte (sua técnica), dupla Simone&Simaria, Carlinhos Brown, Talita Rebouças e André Marques. Além disso ganhou notoriedade na imprensa local, onde foi destaque de matérias televisionadas (TV Liberal), colunas dos jornais Diário do Pará e O Liberal; além de menções em plataformas digitais vinculadas a sites e rede sociais. Aos 10 anos já poderia ser considerada uma “digital influencer mirim” em Belém, pois tornou-se mascote entre as maiores blogueiras de Belém; já era convidada para diversos eventos na cidade. Aos poucos alcançava suas primeiras parcerias, como uma das suas marcas registradas que são as unhas decoradas, sucesso certo entre os seus seguidores. Seu alcance entre seguidores foi motivado pelo seu jeito espontâneo e carismático de apresentar um produto ou cobrir um evento. Seguidores que orgulhosamente foram conquistados um-a-um e dia-a-dia. Seu principal conteúdo é mostrar sua rotina, seu relacionamento com a família, suas tarefas diárias, música, receitinhas na cozinha, tudo que envolve o universo teen. Além claro de mostrar achadinhos e looks para sua faixa etária. Mel também é muito conhecida em seu canal do Youtube, ela sonha em ser jornalista e já pratica realizando entrevistas. Personalidades como Maisa Silva, Thaynara OG, Franciny Ehlke, Kaysar e João Guilherme já foram entrevistados por ela no seu canal: Mel Chaves Papo de Blogueirinha. Filha de pai chef de cozinha, tem vídeos no seu canal do Youtube preparando receitas, costuma ser sucesso.
  • Principais redes sociais
    Instagram, YouTube e Facebook
  • Temas que aborda
    Rotina de uma teen, dicas para o público teen, música, looks, séries, receitas.
  • Número de seguidores
    Instagram: +12k
    YouTube: +6K
    Facebook: +2k
  • Público
    78% mulheres e 22% homens; entre 18 e 34 anos; 30% de Belém.
  • Recordes de engajamento
    Vídeo “Como ter um quarto de Blogueirinha”: +143k views
    Vídeo Final do The Voice Kids: +16.5k views
  • Contato
    equipemelchaves@gmail.com
    Whatsaap (91) 99626-6575 (Flávia – mãe)

24 – Nay D’Oliveira

  • Bio
    Bacharel em Direito, pós-graduada em Direito Tributário e, felizmente, com MBA em Marketing Digital pela FGV. Resolveu seguir seu sonho e hoje é maquiadora, dá cursos de automaquiagem e é produtora de conteúdos digitais. No Instagram, sua principal plataforma, usa o dia-a-dia, bordões, o universo da maquiagem, filmes/séries e muita Netflix para servir de pauta, além de um extenso “elenco” de pessoas que sempre a acompanham, sempre com muito humor e leveza. Alguns de seus vídeos no Instagram de dicas rápidas de maquiagem possuem mais de 6.000 visualizações. Em 2017 ganhou o 1º lugar no prêmio Simineral de Comunicação Categorial Viral.
  • Principais redes sociais
    Instagram, Facebook e YouTube
  • Temas que aborda
    Dia a dia, humor, beleza
  • Número de seguidores
    Instagram: +9K
    Facebook: +4K
  • Público
    78% mulheres e 22% homens; entre 25 e 34 anos; 70% de Belém.
  • Recordes de engajamento
    Mais de 608.000 impressões no Instagram;
    Média de 2.100 vizualizações no stories;
    Fotos com mais de 1k de curtidas;
  • Contato
    naydoliveira@hotmail.com

25 – Paula Martins

  • Bio
    Graduada em Ciências Contábeis pela Universidade da Amazônia – Unama, pós-graduada em Auditoria/ controladoria/Finanças e pós-graduada em Gestão de Pessoas, ambas pela Fundação Getúlio Vargas. Empresária, hoje além de possuir, junto com seu marido, sua própria agência de publicidade, também mantém seu escritório de contabilidade ativo. Aborda em suas redes sociais temas diversos como: relacionamentos, dicas de moda e comportamento, misturados com muito bom humor, mantendo assim vários quadros que caíram no gosto do seu público como: “Quiz da Tia Paula”, “Cantinho da titia” e “Analisando a Música”, que atraem para seus perfis seguidores do mundo inteiro. Alguns dos seus vídeos de maior audiência têm mais de 2 milhões de visualizações. Já trabalhou com clientes como Grupo Mateus, Dicasa, Idelli, Boulevard Shopping, Parque Shopping, Melissa, Coca Coca, It Center, entre outros, e mantém hoje cerca de 15 patrocinadores fixos. Ganhadora dos prêmios Melhores do Ano 2017 – Digital Influencer (voto popular) e Mulher padrão 2018 (Digital Influencer).
  • Principais redes sociais
    Instagram e Facebook
  • Temas que aborda
    Relacionamentos, dia a dia, dicas em geral, tudo com bom humor e descontração.
  • Número de seguidores
    Instagram: +137k
    Facebook: +68k
  • Público
    61% mulheres e 39% homens; entre 13 e 65 anos; 52 % de Belém.
  • Recordes de engajamento
    Vídeo Dicas do sal 2015: +2 milhões views
    Vídeo Quem é Suzana 2016: +2 milhões views
  • Contato
    paula.martins.20@hotmail.com

26 – Petterson Farias

  • Bio
    Pós-graduado em Marketing Digital pela Fundação Getúlio Vargas e graduado em Comunicação Social/Publicidade e Propaganda pela Universidade Federal do Pará. Está como Diretor de Comunicação Institucional da Secretaria de Comunicação do Pará e é responsável pelo Núcleo Digital da comunicação do Governo do Pará. Escreve em dois blogs, este que você lê agora e o Cacos Metafóricos. Nas suas redes pessoais, temas relacionados à literatura, comportamento e cultura web, misturados ao humor, atraem para seus perfis seguidores do Brasil inteiro. Alguns dos seus vídeos de maior audiência têm mais de 100 mil visualizações. Este público proporcionou ao social media a oportunidade de trabalhar com clientes como o Canal GNT, Vale, Farmácias Personale, Banpará, Simineral, Big Ben, Dicasa, Parque Shopping e deu a ele o título de Influenciador Digital do Ano, no Prêmio Fiepa de Jornalismo 2017.
  • Principais redes sociais
    Instagram, Facebook e blog.
  • Temas que aborda
    Humor, regionalismo, comunicação digital, viagens e literatura.
  • Número de seguidores
    Instagram: +7k
    Facebook: +6k
  • Público
    69% mulheres e 31% homens; entre 25 e 34 anos; 50% de Belém.
  • Recordes de engajamento
    Vídeo Círio de Nazaré: +100k views
    Vídeo Aniversário de Belém: +100k views
    +300k impressões no Instagram
    Pico de 3k impressões nos stories
  • Contato
    petterfarias@gmail.com

27 – Prix Chemical

  • Bio
    Fotógrafo e social media formado em Fotojornalismo, mas que atua em eventos sociais e ensaios de moda. Tem o objetivo em suas redes sociais de oferecer tutoriais de edição de fotos, com dicas sobre edição e apps, além de falar sobre moda, comportamento e estilo. Ganhou o prêmio como ‘Destaque Estilo’ no Melhores do Ano.
  • Principais redes sociais
    Instagram e Facebook
  • Temas que aborda
    Fotografia, moda, comportamento e humor
  • Número de seguidores
    Instagram: +13k
    Facebook: + 9k
  • Público
    53% mulheres e 47% homens; entre 20 e 35 anos; 55% de Belém.
  • Recordes de engajamento
    Tutoriais com mais de 50k views e 300 salvos no Instagram
  • Contato
    (91) 98291-3388
    Prixfotografo@gmail.com

28 – Renato Reis

  • Bio
    O jovem natural de Belém do Pará ficou conhecido por gravar Stories. Com vídeos de formato simples contando histórias do dia a dia, está fazendo sucesso na rede. Renato brinca com seu cotidiano e revela um bom humor que contagia seus seguidores. Hoje conta com 32 mil seguidores no Instagram. Já trabalhou com clientes como o Governo do Pará, na campanha do Parque do Utinga e Hemopa. Experiências na TV aberta, em 2018 participou do quadro “Futebol Com Farinha” no Programa Meio de Campo (TV Cultura), no mesmo ano fez parte do elenco da série “Konsiderados”, da TV Cultura,  ao lado de Leona Vingativa e Kevin Albuquerque.
  • Principal rede social
    Instagram
  • Temas que aborda
    Humor
  • Número de seguidores
    Instagram: +35k
    Facebook: +4k
  • Público
    64% mulheres e 36% homens; entre 18 e 24 anos; 80% de Belém.
  • Recordes de engajamento
    Stories com média de 13k
  • Contato
    agenciacomfarinha@gmail.com

29 – Stefania Costa

  • Bio
    Graduada em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda pela Universidade da Amazônia. MBA em Marketing pela Estácio de Sá – RJ. Há 6 anos é Coordenadora de Comunicação do Imazon, instituto de pesquisa da área ambiental considerado referência nacional e internacional no trabalho de preservação da Amazônia. Atua no audiovisual há alguns anos, já foi Diretora de Produção e Planner da MTV Belém e, desde 2008, faz parte da equipe da Floresta Vídeo Produtora. Em 2011, fundou o blog Conteúdo Fútil – espaço virtual para compartilhar assuntos relacionados ao universo feminino. Foi ganhadora da 1ª edição do concurso We Love Fashion Blogs, promovido pela marca Petite Jolie, que contou com mais de 900 concorrentes de todo país. Participou como jurada de mais duas edições do concurso, ao lado de blogueiras como Lia Camargo (Just Lia e Jana Taffarel). Em São Paulo, participou de matéria na Revista Glamour com Camila Coelho, já esteve presente no QG FHits e em eventos como São Paulo Fashion Week, a convite de O Boticário e lançamentos de coleções especiais da MAC Cosmetics e Natura. Foi blogueira homenageada em evento de blogs no Shopping São Luís. Em Belém, organizou duas edições do evento Mulher Na Moda que contou com a presença de Camila Coutinho e Lalá Noleto. No blog, já realizou parcerias com grandes marcas nacionais como Lóreal, La Roche-Posay, Natura, O Boticário, MAC Cosmetics, Vichy, Dafiti, Não mais Pêlo, Maybelline, Moleca, Skin Ceuticals, Roger Gallet, Body Shop, Sol de Janeiro, Avenida, Chilli Beans, Vivo, Marisa, Track Field, Bodytech e marcas locais como DiCasa, Unimed, Parque Shopping, Boulevard Belém, Bosque Shopping, Feira da Indústria, Farmácia Personale, dentre outras. Atualmente, está mais focada no Instagram, onde compartilha, desde 2015, as mudanças que fez em sua vida para alcançar uma rotina mais saudável de alimentação e atividade física, a fim de motivar e inspirar outras pessoas a seguirem nesse caminho. Já organizou duas edições do #SteFitLife, aulão que tem como objetivo promover seu contato direto com as pessoas que a acompanham, além de levar a mensagem positiva do quanto é importante e prazeroso cuidar da saúde.
  • Principal rede social
    Instagram
  • Temas que aborda
    Lifestyle, atividade física, alimentação saudável e moda com foco no público feminino.
  • Número de seguidores
    Instagram: +15k
    Facebook: 6k
  • Público
    78% mulheres e 22% homens; entre 25 e 34 anos; 20% de Belém, seguido por São Paulo e Rio de Janeiro.
  • Recordes de engajamento
    Em média, 1.200 views nos stories
  • Contato
    stefania.costa@gmail.com
    contato@conteudofutil.com

30 – Syanne Neno

  • Bio
    Graduada  em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal do Pará. 24 anos de carreira no jornalismo esportivo, foi a primeira mulher a apresentar o Globo Esporte no Pará e a primeira mulher no Brasil a receber o prêmio “Bola de Ouro”, em São Paulo, por ter uma coluna de futebol publicada semanalmente no jornal “O Liberal”. Da coluna ” De Salto Alto”, nasceu o livro homônimo, uma coletânea das crônicas, lançado em 2000. Durante a época mais vitoriosa do futebol paraense, foi a correspondente nacional do Paysandu, com suas matérias encerrando o Globo Esporte durante 5 dias seguidos, para todo o Brasil. Hoje é repórter da Secretaria de Comunicação do Pará, escrevendo matérias e fazendo vídeos sobre ações do Governo para o site “Agência Pará”. Possui um blog sobre futebol, o www.nenodesaltoalto.com.br, e um canal no YouTube. O ” Gente é pra Brilhar” mostra histórias de superação e solidariedade. Em seu vídeo de estreia, alcançou a marca de quase 2 mil visualizações só no YouTube e 75 mil no facebook. Em 2017 foi indicada ao Prêmio Fiepa de Jornalismo na categoria Influenciador Digital.
  • Principais redes sociais
    Twitter, Facebook, Instagram
  • Temas que aborda
    Futebol, mundo pet, comportamento e música
  • Número de seguidores
    Twitter: +26K
    Facebook: +17K
    Instagram +13K
  • Contato
    nenodesaltoalto@gmail.com

Você se comporta bem nas redes sociais?

Rede social é cartão de visita. Você nem conhece a pessoa direito, mas ela já visitou seu perfil, com certeza. E nesse universo digital, bom comportamento conta muito. Em uma entrevista de emprego, na paquera em aplicativo, no grupo de Whatsapp da família, nos stories: em cada um desses ambientes, você cria uma imagem a partir das suas reações, postagens e atitudes. Portanto, é importante que você seja coerente, honesto e muito responsável em tudo aquilo que faz. Abaixo, algumas dicas podem te ajudar a ser uma pessoa muito melhor nas redes.

 

  • Não compre seguidores
    O desespero que faz você comprar amigos e followers nas redes sociais pode criar na cabeça das pessoas que te seguem a imagem de alguém que faz qualquer coisa pelo engajamento, inclusive, pagar por aquilo que deveria ser orgânico, gratuito, conquistado um a um. Foque num bom conteúdo e não meça o sucesso somente pelo número de seguidores. Relevância é muito mais que isso!

 

  • Não mendigue atenção!
    Abordar as pessoas via direct, inbox, e-mail ou comentários pedindo que elas curtam, comentem ou compartilhem seu conteúdo não é legal. Todo mundo deve ter o livre arbítrio para consumir apenas o que gosta, então não force ninguém a nada. Se seu post, sua promoção, seu sorteio e o seu vídeo não engajaram como você havia imaginado, procure outras estratégias, como compartilhar novamente num bom horário, impulsionar o post, entre outros.

Redes Sociais: o que não fazer. Assista agora!

 

  • Não fale somente de si
    Bom conteúdo nas redes sociais é muito mais sobre o outro do que sobre a gente. Se você usa os canais digitais apenas para satisfazer o seu ego, falar somente dos seus feitos e da sua rotina, sem motivar, inspirar, educar ou entreter alguém, ninguém vai te curtir. Use o seu conteúdo a seu favor, mas abordando temas que interessam às pessoas. E como eu sei o que interessa meus seguidores? Observando o que eles curtem, compartilham e conversando com eles.

 

  • Não compartilhe notícias falsas
    Muitas vezes no desespero de dar uma informação em primeira mão ou ganhar likes a todo custo, as pessoas acabam compartilhando notícias e conteúdos falsos nas redes sociais. Muito cuidado, você é responsável pelo que você publica na sua timeline. Não ponha em risco sua credibilidade. Antes de compartilhar qualquer coisa, cheque, pergunte, se informe e veja se a fonte é segura.

 

  • Não fale sobre o que você não sabe
    Hoje usamos as redes sociais também para nos posicionarmos sobre assuntos importantes, necessários e, algumas vezes, polêmicos. Omitir-se não é visto como um bom comportamento nesse universo digital, mas muito importante: se vai falar, fale sobre o que você sabe. Não opine sobre assuntos que você não domina nem se meta em discussões cujo tema é algo completamente fora da sua realidade. Em casos assim, é muito mais prudente ler e ouvir do que falar.

Este post também foi matéria na Revista Líder de setembro, distribuída gratuitamente nos supermercados. Obrigado pelo convite, queridos!

 

 

 

Variar é importante. Nas redes sociais também

Não só os escândalos do Facebook em 2018, mas as próprias discussões anteriores acerca dos seus algoritmos já nos provocavam a uma reflexão acerca do conteúdo postado em uma só rede: será que é mesmo prudente e saudável? O Joe Pulizzi fala muito disso nos seus livros, Marketing de Conteúdo Épico e Conteúdo S.A., sobre o cuidado de não entregarmos a um só canal todos nossos esforços, conteúdos e audiência. Mesmo conhecendo a realidade de pequenos empresários que gerenciam suas próprias contas ou empresas que não possuem equipes suficientes para lidar com mais de uma rede social, é necessário a gente refletir e levar em consideração todas essas reviravoltas que chegam sem avisar e, algumas vezes, nos obrigam a recomeçar do zero aqui na web.

Podcasts funcionam como um programa de rádio, a diferença é que você pode ouvir o que quiser e na hora que bem entender. Basta acessar, dar no play e/ou baixar o episódio. Um Milkshake Chamado Wanda é sobre entretenimento e cultura pop.

Quando o Twitter estava no auge, as pessoas começaram a migrar para o Facebook e Instagram. Snapchat no auge, os seguidores fugiram para os stories. Audiência incrível no Facebook, os números começam a cair. E isso não vai parar! Os ciclos digitais são muito mais curtos do que estávamos acostumados mesmo. O eterno aprendizado não é mero clichê, é realidade. A Internet empresta dessa geração a liquidez das coisas e leva muito a sério suas efemeridades. Não estou aqui para dizer se isso é bom ou ruim, mas que o sentimento é de sempre estar correndo atrás pra quem-sabe-talvez-de-repente-a-gente-consiga-dar-conta, ah, isso é! Quem influenciou ano passado, hoje a gente já nem lembra. Histórias que se esvaem em 24 horas. Memes de um só dia. ‘Que tiro foi esse?’ Passou e eu nem vi.

Pinterest é uma rede social de compartilhamento de fotos que funciona como um grande arquivo de inspirações. E a sua marca pode ter um perfil lá, como o Buzzfeed tem.

E as redes seguem o fluxo. E mudam quando querem. E não nos pedem opiniões. E a gente também muda. E nossas mudanças refletem nas redes. E por isso são chamadas Redes Sociais. E mudar é ótimo! A gente só não pode ficar refém. Seu cliente e sua marca também não. E uma das saídas talvez seja essa: não confiar todo nosso trabalho digital a uma só rede social. A Internet é vasta o suficiente para isso. Tente construir sua audiência e reputação em diversos canais. Não precisa abraçar o mundo, mas pergunte onde seus seguidores estão. Explore caminhos fora do combo ‘facebook/instagram’. Vá para o Spotify, faça podcasts, converse no Whatsapp, acesse o Linkedin, entre no Skoob, envie newsletter, fuja para o Pinterest. E se o seu público estiver no Tinder ou no Grindr, vá até lá também, ora, e sem preconceitos pra ser feliz.

A Rede Ovelha Negra, por exemplo, varia seus conteúdos produzindo newsletters mensais.

O Governo do Pará, um perfil de comunicação pública, explorando redes menos usuais como o Spotify

O Yummy Sensations, perfil no instagram comandado pela Ana Olívia, também produz e-books descomplicando a culinária e ajudando seus seguidores a cozinharem